Noticias

Tekkon Kinkreet: confira detalhes do mangá

Título sai já no mês de maio

O mangá Tekkon Kinkreet, de Taiyo Matsumoto, próximo lançamento da editora Devir pelo selo Tsuru teve seus detalhes revelados. Ele virá no formato 17 x 24 cm (mesmo de O homem que passeia e Nonnonba) com capa  cartonada com sobrecapa, e terá mais de 600 páginas. Seu preço será R$ 94,00 e está previsto para ser lançado no mês de maio. Confira a capa abaixo:

Sinopse oficial: Numa cidade de “ferro” e “concreto” (significado em japonês de Tekkon Kinkreet), vivem personagens também implacáveis e indomáveis. Kuro (o preto) e Shiro (o branco) são órfãos. Para sobreviver, eles têm de roubar, lutar e se esconder em um mundo sombrio, solitário e corrupto, onde a própria cidade os afaga ou os despreza, como se fosse um ser vivo. O soberbo desenho de Matsumoto, rico em pequenos detalhes, traduz fielmente o ambiente desta história que pode se tornar angustiante, mas que ao mesmo tempo nos emociona e nos liberta. Vencedor do Prêmio Eisner de “Melhor Edição Internacional – Japão” em 2008. Tekkon Kinkreet foi adaptado para o cinema em um longa-metragem animado com direção de Michael Arias e produção do Studio 4º C/Sony. Em 2008, este foi escolhido como a “Animação do ano” pela Academia do Japão, além de vencer nas categorias de “Melhor História Original” e “Melhor Direção de Arte” na Tokyo International Anime Fair. O mangá foi lançado originalmente no Brasil pela Conrad em 2001 com o título Preto e Branco (em 3 volumes). A edição da Devir traz a história completa, em um único e gigantesco volume de mais de 600 páginas, com acabamento primoroso em capa brochura e sobrecapa.

***

Curta nossa página no Facebook

 Nos siga no Twitter

BBM

Anúncios

17 comentários em “Tekkon Kinkreet: confira detalhes do mangá”

    1. Tem uma matéria que publicaram esses dias por aqui que procura explanar um pouco essa questão, Lunei.
      Matéria MUITO boa. Recomendo ler -e pesquisar a sessão de graphic novel pra vislumbrar os preço de anão gigante dos mesmo-.

      Além do mais, “quadrinho cult/conceituado” geralmente tem preço elevado, principalmente quando comparado aos mangas e vendido pro público das GN -não consigo visualizar leitor BR de Naruto ou Ore Monogatari comprando isso, independente do interesse-. O preço nem me surpreende. Chuto 4 mil cópias produzidas disso aí e olhe lá.
      Amém Saraiva/Amazon e 3x sem juros!!! -pra quem é pobre feito a gente-

      PS: absurdo você não curtir o único pop ocidental de 2016 que esmaga todos kpop do mesmo ano, Sim ou Não! Eu adoro suas esquisitices mas essa me chocou!!! Acho que a vibe latina não deve mesmo colar com você -Despacito e todo restante lixo-… Procura uma música da Beck G chamada Can’t Stop Dancing, acho que a experiência vai te agradar mais do que as tentativas frustadas do ano passado pra cá.
      ‘braço more, não demore com a playlist de 2005 (ou 2006… Já faz tanto tempo desde a última :/ ) X3

      Curtir

      1. Aah, eu li a matéria já, até elogiei quando saiu. Mas ainda assim, NOVENTA E QUATRO REAIS. Torcendo para que o preço caia, no mínimo, pela metade em alguma dessas promoções aí, pois não vale isso tudo não. E falo isso mesmo sendo apoiador e consumidor desse mercado de luxo de graphic novels (corta pra mim só esperando o cartão virar pra pagar cinquenta golpinhos no encadernado de Marada, da Pipoca e Nanquim).

        Queria muito ter entrado no hype de Sim ou Não, mas não rolou. Can’t Stop Dancing eu gosto, acho que é por aquilo de ser um pop-com-elementos-latinos e não, huh, um número latino com elementos pop (?)

        A playlist 2005 saiu mês passado. A de 2006 virá ou no final desse ou no início de maio, aguarde afetuosamente. \o/

        Curtir

        1. R$ 94,00 com um papel de excelente qualidade, uma tiragem reduzida, dimensões maiores que um mangá normal, sobrecapa, 600 páginas… E tudo impresso no exterior.

          Nonnonba, outro título da Devir, tem por volta de 400 páginas e preço de capa de R$ 89,00. Eu fiquei até aliviado ao ver que Tekkon viria abaixo de 100, porque não estava esperando. A Devir cobra caro, mas entrega uma qualidade excepcional e uma curadoria que nenhuma outra editora de mangás tem no país atualmente.

          Se tiver que pagar R$ 94,00 pra ter uma edição BOA de Tekkon Kinkreet no país, eu acho válido. Se não fosse a Devir nós só veríamos esse título em 2030, quando uma Panini da vida quisesse arriscar em alguma coisa, e ainda teria a chance de vir num formatinho pequeno e em papel jornal, o que não faz jus a qualidade dessa obra e o público que ela atinge.

          Além disso, você nunca vai achar esse mangá pela metade do preço pois a Devir não bota promoções grandes em seus produtos. O maior desconto que tem nos mangás da Devir são os de 35%, e ainda assim é coisa rara.

          Curtir

        2. Kkkkkkkkkk, MORTO que tbm to esperando o cartão pra comprar essas desgraças XD

          Ah sim. Então é isso mesmo, só não faz muito seu estilo. Surpreso que cê já conhecia o hino teen @.@

          Isso. 2006. Amém final de mês. Se o diabo mexer os pauzinhos a lista só sai em maio… Vou orar por você irmão!

          PS: hauahauahauah sabia que cê era kittycat
          PS2: mano, faz review das GP/manga que cê compra. Eu só passei a acompanhar Promised Neverland por sua causa 😉

          Curtir

          1. Huh, mas não sou katyfan não. Só gosto das músicas, mas meio que cago para ela como pessoa.

            Sobre os reviews de gps e mangás, me dá um pouco de preguiça. Na verdade, a blogosfera otaku e os leitores de blogs otakus como um todo meio que me dão preguiça, se levam a sério demais, então toda resenha precisa estar no nível de um tcc para agradar, ou não é bem vista. O pessoal dos capopes é mais receptivo nesse quesito – por mais absurdo que pareça colocar capopeiros como um público mais fácil em qualquer comparação.

            Curtir

      1. Kkkkk isso sim né, mas a questão, e isso tem maior peso para mim, é que ela era mais inusitada em títulos anunciados, se arriscava mais, tipo O Vampiro Que Ri por exemplo
        Lamentável títulos não terem vendido o esperado. Mas isso acontece. A JBC joga tão seguro nos títulos que publica qie só cancelou uma vez a publicacao, em contra partida é mais difícil para ela ver meu suado dinheirinho.
        Enfim, é por aí meus critérios.
        Paz x3

        Curtir

  1. É como eu disse num comentário lá num grupo, não consigo achar os preços praticados pela DEVIR, caros. Vejam só os pesos dos títulos, pensem no quão caro é a licença deles. Comparem, Homem que passeia veio a quase 60,00, pelo dobro de páginas tivemos 30,00 a mais em Nonnonba e, com 1/3 a mais de páginas que este último, tivemos um mízero aumento de 4 reais. Não deve ter tanta diferença assim o preço final da licença de ambos.

    A DEVIR está sim, praticando preços bastante em conta. Pretendo pegar este e Nonnonba, assim que aliviar um pouco. E é aquilo, Tsuru não tem títulos pra fã de porradinha básica. O preço vale sim, e há vários outros fatores como o lugar onde é impresso, o tipo de papel usado…

    Curtido por 1 pessoa

  2. “O preço de Tekko Kinkreet é justo?”. Espero outro artigo pra defender o preço praticado por esssa editora, hahaha.

    Seria legal se tivesse algum extra (makin of, capas alternativas, etc), as edições da Conrad não tinham. Mas não sei se no original ou se em outras versões tem.

    Curtir

Deixe seu comentário^^ (mas não brigue com o amiguinho, se discordar da opinião do colega, discorde com educação).

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s