Matérias

Os raros mangás da década de 1980 (e anteriores) em publicação no Brasil…

Pouco, muito pouco…

I

A Rosa de Versailles, City Hunter, Hokuto no ken, Jojo Bizarre Adventure, Hajime no Ippo e Oh! My Goddess!. Não há quem não tenha ouvido falar de pelo menos um desses títulos. São obras famosas, volta e meia referenciadas por outros mangás, mas que dificilmente veremos de forma oficial em língua portuguesa. Todos eles são títulos da década de 1980 ou anteriores e quase não se publica mangás antigos no Brasil, ainda mais quando eles têm uma quantidade de volumes mais considerável.

Quando o título é de tomo único, ou tem poucos volumes, é  fácil uma editora arriscar para ver se tem público, mas quando ele é mais extenso só se ele for muito popular para aparecer por aqui. Daí que de todos os títulos listados acima, o mais provável a aparecer é Jojo Bizarre Adventure, devido à popularidade que ele ganhou com os animes recentes. Ainda assim, ele tem aqueles velhos problemas de licenciamento que nós já discutimos aqui em outra matéria (clique aqui para ler), o que o torna tão complicado como qualquer outro de aparecer por aqui…

Só para se ter uma ideia do quanto é difícil uma obra antiga e com muitos volumes aparecer no Brasil, no período 2010-2017 começaram a ser publicadas no Brasil mais de 400 obras entre mangás e light novels e desse total apenas 19 mangás tiveram seu início no Japão antes de 1990.

Se esse número já lhe parece pequeno saiba que desses 19, apenas 5 tinham mais de 10 volumes. Saiba também que todos os 5 foram relançamentos de obras já publicadas anteriormente no Brasil. Em outras palavras, nos últimos 7 anos não houve por aqui nenhum título longo inédito da década de 1980 ou décadas anteriores. Um cenário desolador para quem é fã de clássicos…

II

Apesar dessa introdução, a nossa postagem de hoje não visa dar um banho de água fria em quem deseja títulos mais antigos. Na verdade, esse histórico diminuto de mangás é uma preparação para a postagem de hoje em si, que é apenas para apresentar uma lista do que se publicou no Brasil nos últimos 7 anos quando se fala de obras antigas.

Por obras antigas, entendemos mangás que começaram a ser publicados até 1989 no Japão. Obviamente sabemos que mangás dos anos 1990 já são considerados velhos, muitos até datados, mas ainda é bem mais fácil aparecer mangás dessa década do que das anteriores.

Notem que algumas obras que listaremos começaram na década de 1980 e se estenderam posteriormente, alguns em publicação ainda hoje (como Berserk), mas contabilizaremos mesmo assim, afinal são títulos que nasceram naquela época.

Como dito mais acima, são apenas 19 mangás, um número verdadeiramente pequeno. A maioria deles ou são obras do deus do mangá Osamu Tezuka ou são relançamentos. Somente 5 não fazem nem de um grupo, nem de outro. Dito isso, vamos ver detalhadamente quais foram esses títulos antigos, primeiro os das década de 1980, depois os da de 1970 e anteriores^^:

III

Mangás da década de 1980 publicados no Brasil entre 2010 e 2017

-Akira (relançamento): Obra de Katsuhiro Otomo, Akira dispensa apresentações. Obra extremamente cultuada e popular entre os fãs de mangás e de quadrinhos de modo geral. É um sucesso inconteste e sua segunda publicação no Brasil era algo muito esperado e só não ocorreu antes por burocracia japonesas. Completo em 6 volumes, o mangá teve o primeiro tomo lançado em junho de 2017 pela editora JBC.

-Berserk (relançamento): Obra de Kentaro Miura, Berserk ainda está em publicação no Japão e não tem qualquer previsão de fim. Curiosamente, a editora Panini não acreditava que um relançamento do mangá fosse vender. O anúncio da republicação só ocorreu após uma forte campanha dos fãs na tentativa de convencer a editora. Berserk possui atualmente 39 volumes no Japão. O relançamento está no volume 18 no Brasil.

-Cavaleiros do Zodíaco (Relançamento – 2 vezes) : Nem precisamos falar o sucesso que é Cavaleiros do Zodíaco. Não à toa é o único título dessa lista a ter dois relançamentos no período analisado, o segundo deles em capa dura, tendo começado em dezembro de 2016. Serão 22 volumes nessa versão.

-Dragon Ball (relançamento): Outro título que dispensa apresentações. A obra de Akira Toriyama no passado havia sido publicado pela Conrad e retornou por meio da editora Panini. Teve seus 42 volumes publicados entre 2012 e 2015.

Dr. Slump (relançamento): Caso interessante. Do mesmo autor de Dragon Ball, Dr. Slump foi lançado no Brasil no passado pela Conrad e acabou cancelado. Retornou agora decerto apenas pelo sucesso de Dragon Ball. Ou seja, retornou pela força do nome Akira Toriyama. O mangá possui 18 volumes no total e teve seu primeiro tomo lançado em julho.

O homem de várias faces (Inédito). Primeiro mangá inédito a aparecer nesta lista. Completo em 2 volumes, o mangá é do aclamado grupo CLAMP e, decerto, apareceu no Brasil devido ao sucesso de outras obras das criadoras de Sakura Card Captors. O mangá foi publicado pela editora NewPOP.

Parasyte (inédito). Completo em 10 volumes. Teve seu início no Japão em fins de 1989, embora seu primeiro volume só tenha saído em 1990. O mangá ganhou uma popularidade recente devido à adaptação em animê que a obra teve, o que facilitou o licenciamento do título…

RG VEDA (inédito): Outro título inédito também pertence ao grupo CLAMP. Completo em 10 volumes. RG VEDA foi publicado no Brasil pela editora JBC.

The Ghost In The Shell (inédito): clássico de Masamune Shirow, The Ghost In The Shell era bastante conhecido no Brasil por sua animação, entretanto só teve sua publicação no Brasil em dezembro de 2016. Dizem que havia problemas de licenciamento que faziam o título não estar disponível para o Brasil. O mangá possui só 1 volume e foi lançado pela editora JBC.

IV

Mangás da década de 1970 e anteriores publicados no Brasil entre 2010 e 2017

Crime e Castigo (inédito): De Osamu Tezuka. Volume único publicado pela NewPOP.

Don Drácula (inédito): De Osamu Tezuka. Completo em 3 volumes. Publicado pela NewPOP. O título era conhecido do povo mais antigo devido à exibição do desenho na televisão brasileira.

Dororo (inédito): De Osamu Tezuka. Completo em 4 volumes. Publicado pela NewPOP.

Kimba (inédito): De Osamu Tezuka. Completo em 3 volumes. Obra que teria servido de inspiração ao clássico filme O Rei Leão, da Disney.

Metrópolis (inédito): De Osamu Tezuka. Volume único publicado pela NewPOP.

Os filhos de Safiri (inédito): De Osamu Tezuka. Volume único publicado pela NewPOP.

Pinóquio (inédito): De Osamu Tezuka. Volume único publicado pela NewPOP.

Gen Pés Descalços (relançamento): De Keiji Nakazawa. Completo em 10 volumes. Possivelmente o mangá mais estudado nas universidade de todo o mundo. Foi publicado entre 2011 e 2016 pela editora Conrad.

Golgo 13 (inédito): De Takao Saito. Ainda em publicação no Japão com 185 volumes, mas previsto para ser concluído em 200. No Brasil, foi lançada uma coletânea de melhores histórias em 3 volumes pela editora JBC.

Lobo Solitário (relançamento): De Kazue Koike e Goseki Kojima. Completo em 28 volumes. Clássico absoluto dos mangás e considerado por muitos fãs de comics como o melhor já feito. Está em publicação pela editora Panini, atualmente no volume 3.

***

Esses foram os mangás antigos publicados no Brasil desde 2010. Vale dizer que só contabilizamos títulos que começaram a ser lançados por aqui após o referido ano. Houve obras que começaram a sair no Brasil anes disso, mas que tiveram alguns volumes lançados no período analisado, como Ranma 1/2 ou a primeira versão de Berserk.

Mas depois de ver essa lista, quais as perspectivas para o futuro? A NewPOP deve continuar a investir em mangá de Osamu Tezuka, então quem é fã dessas obras não terá do que reclamar. A editora, inclusive, já tem alguns títulos planejados para 2017 e início de 2018 que são Prelúdio do arco-iris, A nova ilha do tesouro e Manga Daigaku.

A entrada da Devir também abre novas possibilidades. Até então, parecia impossível que obras mais antigas fora Tezuka tivessem alguma chance por aqui, mas agora a realidade pode começar a mudar. Com a divulgação de Nonnonba, de Shigeru Mizuki, passa a ser possível sonhar com mais dessas obras clássicas. Entretanto, por ora, títulos longos ainda devem ser considerados um sonho distante, talvez impossível.

Curta nossa página no Facebook

 Nos siga no Twitter

BBM

Matéria atualizada para a inserção de Parasyte que começou a ser publicado nos últimos meses de 1989 no Japão.
Anúncios

17 comentários em “Os raros mangás da década de 1980 (e anteriores) em publicação no Brasil…”

  1. Vi esses dias no Comixology as versões digitais dos mangás do Kamen Rider, de autoria do Shotaro Ishinomori, queria que fossem publicados aqui.
    E alguma coisa do Go Nagai, por favor! ><
    Belo post Kyon, como de costume!

    Curtir

  2. Desta lista, em ordem crescente, eu tenho: Kimba, Berserk, O Homem de Várias Faces, RG VEDA e The Ghost In The Shell. Graças às revistas especializadas que apareceram antes dos mangás serem publicados por aqui, eu já sabia que todos eles eram bem antigos, principalmente os do Osamu Tezuka. Afinal, o cara foi considerado o pai/o deus do mangá como o conhecemos hoje.

    Curtir

    1. Não faltou, porque o mangá de Captain Tsubasa nunca foi publicado aqui no Brasil. E a matéria se refere aos mangás que foram publicados aqui e que pertenciam às décadas de 1970 e 1980, respectivamente.

      Curtir

  3. eu sempre quis uma edição de rosa de Versalhes em três vol como a francesa… pq a jbc não lança?! foi uma revolução no shoujo! e clover( que não estaria nesta lista mas eu queria..)

    Curtir

    1. Realmente @Barbara, dos citados nas duas primeiras linhas do post, para mim o que tem mais chance de aparecer por aqui dada sua condição de originalmente ter apenas 10 volumes, é justamente Rosa de Versalhes, discordando do Kyon. E se vier numa edição com menos volumes (como um BIG) seria mais fácil ainda. Realmente a JBC poderia pensar nisto. Mas para ela de repente pensar neste título, você e outras pessoas que gostariam de ver o título aqui precisam mandar e-mail e/ou atazanar lá o Cassius em outros lugares internet afora…
      Não sei como anda a nossa gloriosa embaixadora do shoujo no Brasil, Valéria Fernandes, do Shoujo Café, mas se ela tivesse mais tempo e paciência, poderia ajudar nisto, já que estamos num período de maior abertura das editoras em relação aos seus consumidores/colecionadores.

      Curtido por 1 pessoa

      1. eu também acho!! e pretendo atazanar o Cassius em pessoa no evento da jbc em novembro(dia 12). acho que não vai adiantar muito mas tem que tentar! tem uma edição comemorativa linda francesa em três volumes num formato semelhante ao do akira acho que teria publico mesmo sendo caro. eu adoro o shoujo café inclusiva parte da info que eu tenho sobre a ryoko ikeda vem de lá. e realmente se ela fizesse campanha ia ajudar demais. mas desanima um pouco pensar que nem inuyasha tá andando..

        Curtir

        1. Sim sim, faça isto! Atazane o Cassius lá. E tente juntar pessoas para ser um grupo atazanando-o e não apenas uma amazona solitária. ^^
          E se der, faça o mesmo na CCXP, caso você vá! o/

          Quanto a Inu-Yasha, tenha calma @Barbara, este é um mangá bem complicado (especialmente no atual cenário socio-político-econômico brasileiro) para ser RELançado. A JBC já oficializou o relançamento, mas dada sua quantidade de volumes, ela não pode simplesmente errar o tiro em Inu-Yasha, até porque também a JBC trabalha com a ideia de sempre finalizar seus mangás lançados, mesmo na dificuldade. Se ela meter os pés pelas mãos, pode acabar dando com os burros n’água… e aí não só os colecionadores saem perdendo, como também a própria JBC, pois um erro fatal e o relançamento de Inu-Yasha pode virar estatística negativa se juntando a Futari Ecchi…

          Curtir

          1. Acabou que dos mangás citados nas primeiras linhas do post, tivemos “Hokutão” sendo anunciado pela JBC…=O
            @Kyon, você tem certeza que não sabia de nada antes de postar isto aqui? xD

            Curtir

  4. Eu sinceramente acho que a falta de mais títulos do período citado por aqui se deve ao fato de muita gente daquela geração e da “geração Manchete” não estar mais ligando tanto para isto, não ter tempo, paciência e tampouco dinheiro para sustentar tanto gasto… Alguns com certeza são pais/mães de família, outros podem estar desempregados, outros simplesmente nem animes assistem mais, que dirá ler mangás… Ou seja, basicamente, aquela galera envelheceu do “pior modo” que a cultura otaku-br gostaria e/ou desejaria.
    Aliando-se a isto, temos o fato da “geração Orkut” e da geração “face-bok/zap zap” simplesmente não ligar para estas obras mais antigas. Tenho amigos da “geração Manchete” que não ligam mais, imaginem pessoas das gerações mais recentes??…
    Logo, fica mesmo inviável ver estes mangás mais antigos e volumosos por aqui. É uma conjunção de fatores e tal como você, @Kyon, creio que títulos longos ainda devem ser considerados um sonho distante por aqui, e quanto mais os anos se passam, pior fica.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe sua opinião. Seu comentário é muito importante para nós^^.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s