Review

Resenha: One Week Friends #01

one weekA amizade acima das lembranças…

Um dos lançamento de janeiro (que só saiu em fevereiro) da editora Panini é o mangá Ishuukan Friends ou One Week Friends, um shonen de autoria de Matcha Hazuki. Ele foi publicado entre 2011 e 2015 nas páginas da revista Gangan Joker (mesma de Akame ga KILL!), da Square Enix, sendo concluído em 7 volumes.

O título foi anunciado pela Panini no dia 12 de junho de 2016 como um “presente do dia dos namorados” e só foi publicado agora no meio de fevereiro. A obra, porém, apesar de ter sido anunciada em um dia dos namorados, pouco ou nada tem de romance, ao menos nesse primeiro volume.

Com uma estrutura diferenciada, misturando um estilo tradicional de mangá com os 4-koma, One Week Friends é um título divertido e que possui muita coisa para ser apreciada.

one-week-friends-01


Sinopse Oficial


“É que eu… perco todas as lembranças dos meus amigos depois de uma semana…” É o que diz Kaori Fujimiya, uma colega de classe que está sempre sozinha, sobre sua real condição. Mesmo assim, Yuuki Hase deseja se tornar seu amigo. Ao longo de uma semana, os dois vão tecendo novas memórias e se aproximando cada vez mais, não importa quantas vezes for necessário recomeçar… E, assim, tem início uma linda história sobre “amizade”.


História e desenvolvimento


Talvez a pior coisa que você possa fazer ao ouvir falar de One Week Friends é compará-lo com o filme Como se fosse a primeira vez. Embora a premissa seja parecida, os dois não têm absolutamente nada em comum, a não ser o fato de a personagem feminina perder as memórias. Enquanto Como se fosse a primeira vez é uma história de amor clássica, One Week Friends está mais para uma história de amizade do que qualquer outra coisa.

No mangá, Yuuki Hase vive a observar Kaori Fujimiya e decide se tornar amigo dela, no que é rejeitado de imediato. Ele insiste e os dois passam a almoçar juntos até que ao fim daquela semana, ela diz que esquece de tudo na segunda-feira. O ponto principal é que o esquecimento é simplesmente genial. Ela não esquece da família, não esquece do que aprendeu, não esquece das pessoas em que é indiferente, ela esquece apenas das boas memórias, das pessoas com quem têm laços de amizade, fazendo com que ela fique impossibilitada de fazer amigos, já que não conseguirá se lembrar deles depois de uma semana…

Mesmo ao descobrir o problema da garota, Hase decide tornar-se amigo dela todas as semanas e ela aceita, mesmo não conseguindo lembrar dele a cada segunda. O mangá se desenvolve nesse primeiro volume mostrando a relação dos dois, com os problemas advindos da perda de memória e as demonstrações de amizade, como ela cozinhando para ele e ele a levando em lugares em que ela gostaria de ir com amigos, etc.

É muito interessante o quanto Fujimiya gosta dessa amizade com o rapaz e sempre se esforça para mantê-la, chegando a fingir que se lembrava de algum acontecimento. Hase também sempre busca deixar a garota confortável quando ela se sente mal por não lembrar das coisas. Os dois se divertem juntos e um gosta da companhia do outro. É fascinante.

Não existe nenhum clima de romance nesse primeiro volume. O máximo que existe são leves sugestões de que o rapaz poderia gostar da garota, mas não passa disso. E todas as vezes em que há essa sugestão, a cena sempre acaba em um tom de humor.

Nesse primeiro tomo, apenas vemos o surgimento e o desenvolvimento inicial da amizade de Hase e Fujimiya e não precisamos nada além disso. One Week Friends é um mangá que trabalha muito bem o clima slice of life, sem deixar a obra muito parada e sem forçar demais o drama. Se você gosta de slice of life, decerto One Week Friends te agradará em cheio.

Só esquecimento de amigos?

Mas por que a garota esquece somente dos amigos? Em Como se fosse a primeira vez, a personagem principal esquece das coisas porque sofreu um acidente, em One Week Friends ainda não temos uma resposta para isso. Shougo Kiryuu, amigo de Haze e única pessoa a quem é contada o problema da garota, coloca a hipótese de que ocorreu algum trauma com ela no passado relacionado a seus amigos, por isso ela esquece toda semana. Um trauma psicológico? Talvez e provavelmente sim, mas ainda não foi desenvolvido. Veremos isso nos próximos volumes.


4-koma


One Week Friends possui uma estrutura diferenciada, misturando o estilo tradicional de quadrinização dos mangás, com o 4-koma, aquelas tirinhas de 4 quadros, presente em obras como Azumanga Daioh ou K-on. A diferença básica é que os 4-koma de Azumanga Daioh terminam justamente nos quatro quadros, geralmente acabando com alguma cena engraçada. Já em One Week Friends a história é contínua, mas ainda temos a estrutura básica de ter um “título” em vários conjuntos de quadros.

img_20170225_121033

Mas ele não fica só nesse 4-koma, há várias passagens em que Hazuki se utiliza da quadrinização tradicional, fazendo uma mistura bastante interessante. Isso costuma acontecer em outros mangás 4-koma também, mas me parece que o número de vezes que isso acontece é maior em One Week Friends.

Inicialmente o estilo 4-koma pode haver um estranhamento para quem não está acostumado, mas logo torna-se natural…


A edição física


A edição brasileira do mangá veio no formato 13,7 x 20 cm (padrão da Panini) e miolo em papel jornal. A edição ainda teve direito a uma página colorida em couchè. Em minha opinião, a edição física está bastante satisfatória e o papel utilizado parece estar melhor do que os utilizados nos volumes recentes de outros mangás da editora como Arakawa Under The Bridge e Lovely Complex que vieram com páginas extremamente finas.

O papel de One Week Friends ainda é fino, mas é branquinho e bom para a leitura. Para efeito de comparação, o volume 6 de Lovely Complex possui exatamente a mesma grossura de One Week Friends, mas este possui cerca de vinte páginas a menos, o que demonstra que OWF possui um papel de um pouco melhor qualidade.

img_20170225_110921
Comparação de espessura. Lovely Complex #06 (180 páginas); One Week Friends #01 (162 páginas)

Adaptação e outros detalhes


Não costumo gostar da adaptação da Panini por causa do uso de honoríficos e de outras escolhas que me parecem questionáveis. Nesse mangá, porém, pouca coisa a reclamar. A empresa ainda utiliza-se dos pronomes de tratamento japoneses, mas como só existem três personagens, não fez muita diferença na história, embora seu uso continue sendo sem qualquer sentido aparente.

Fora isso, o único ponto mais ou menos questionável foi a editora ter deixado a palavra “babanuki”em japonês, em vez de traduzir para “Jogo do mico”. A empresa preferiu manter o nome em japonês e colocar uma explicação no glossário. Não fez sentido nenhum para mim. Se existe uma palavra ou expressão exata em língua portuguesa, essa expressão deveria ser priorizada.

No mais, gostei do trabalho da Panini nessa edição. Embora continue a usar honoríficos, mais e mais a Panini anda “se soltando” e colocando vários coloquialismos em seus mangás, tornando a leitura muito mais fluída e natural para o leitor.

Por fim, a única coisa que eu não entendi foi a escolha da classificação indicativa para 12 anos. A leitura do primeiro volume me pareceu bastante leve e poderia ser facilmente classificado como “livre” ou, quando muito, “10 anos”. Só posso pensar que talvez o futuro da obra traga coisas impróprias, mas isso é só suposição minha…


Veredicto


One Week Friends é uma excelente leitura descompromissada, feita para você passar o tempo e se divertir de uma maneira leve, com uma bonita história de amizade. Definitivamente é uma obra excelente para os fãs de slice of life e de mangás sobre o cotidiano escolar. Talvez não agrade tanto quem espere uma história de romance, mas mesmo assim é uma narrativa que vale muito a pena…

Ficha Técnica

Título: One Week Friends

Autor: Matcha Hazuki

Editora: Panini

Acabamento: Papel jornal + página colorida

Número de volumes: 7

Preço: R$ 13,90

 

***

Curta nossa página no Facebook

 Nos siga no Twitter

BBM

Anúncios

9 thoughts on “Resenha: One Week Friends #01”

  1. Interessante saber que a Panini mudou a gramatura e coloração do papel jornal, agora vi alguma vantagem mínima para comprar esse mangá. Só faltou melhorar a distribuição, pois esse foco exclusivo em bancas não ajuda em nada. Vou pensar melhor se compro ou não. Obrigado pela resenha!

    Curtir

  2. Sakamoto está na saraiva, e esse nao está. isso me deixa puto. porq só compro pela saraiva tudo. por deixa acumular mangás em 2 meses, e compro tudo de uma vez com desconto, esse ano já desisti de Akame ga Kill porque nao tem lá. do lado da minha casa tem uma saraiva. e nao tem uma banca de jornal q preste, fica difícil, tenho q fazer mo caminhada pra achar mangás kkkkk só comprei akame ga kill por comprei direto no site da panini, mas só vendem por cartao de credito e nao tem 1 desconto, e o frete é absurdo de caro. ai fica inviável. kkkk

    Curtir

Deixe sua opinião. Seu comentário é muito importante para nós^^.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s