Curiosidades

Curiosidade: a publicação de Nisekoi pelo mundo…

nisekoiCapas, paralisações, conclusões, o mangá em outros países…

Nisekoi é uma comédia romântica escrita e desenhada por Naoshi Komi, mesmo autor de Double Arts. A obra foi serializada na revista Weekly Shonen Jump, da editora Shueisha, entre 2011 e 2016, sendo concluído em 25 volumes.

No mangá acompanhamos Ichijou Raku, um rapaz que deseja uma vida de paz e tranquilidade. Porém ele é filho de um dos chefes da Yakuza. Sua vida, já conturbada, dará uma guinada com a chegada de Kirisaki Chitoge com quem deverá fingir ser seu noivo devido a negócios de seus pais. O problema é que Raku gosta de outra garota, Onodera. Fora isso, ainda existe um pequeno pingente que serve de prova de uma promessa que ele e uma garota fizeram quando eram criança. Raku deseja que essa tal garota seja Onodera, mas quem será a verdadeira garota da promessa?

A obra ganhou uma animação em janeiro de 2014 e durou 20 episódios, sendo concluído em maio do mesmo ano. Em 2015 ganhou uma segunda temporada com mais 12 episódios, tendo sido exibido entre abril e junho desse ano.

O mangá vivia sendo pedido pelos consumidores e foi anunciado pela editora Panini no dia 18 de junho de 2016. A obra está prevista para ser iniciada no mesmo mês de 2017. Enquanto esperamos a publicação, que tal vermos um pouco de curiosidades sobre a publicação do mangá em outros países do mundo?

***


ALEMANHA


nisekoi-alemanhaNa Alemanha, Nisekoi começou a ser publicado em junho de 2014 pela editora Kazé e teve o subtítulo de “Liebe, Lügen & Yakuza” (Amor, Mentiras e Yakuza). A obra foi lançada em periodicidade bimestral e atualmente se encontra no volume 17, com o 18 previsto para abril. O detalhe interessante é que além da versão física, a editora alemã também publicou o mangá em formato digital.

Para quem estranhou a empresa lançar o mangá digitalmente, vale lembrar que a editora Kazé é filial de uma editora francesa de mesmo nome e esta editora francesa, por sua vez, é pertencente à Viz Media Europe (subsidiária das empresas japonesas Shueisha e Shogakukan). Ou seja, teoricamente, as negociações para lançar o formato digital devem ser mais fáceis.

A versão física foi publicada no formato 11,5 x 17,5 e custa 6,95 euros por edição. A versão digital, por sua vez, custa 4,99 euros por volume.


ESPANHA


A Espanha foi um dos países em que o mangá chegou mais cedo, ao mesmo tempo em que a França e meses antes de sair nos Estados Unidos. O mangá foi publicado pela editora Ivrea em setembro de 2013, inicialmente em periodicidade mensal. Atualmente se encontra a um volume de ser concluído. O tomo 24 foi lançado em dezembro de 2016.

Não encontramos detalhes sobre o tamanho do mangá. Só o que sabemos é que ele é um pouco menor do que a versão mexicana (veja mais abaixo) o que indica que o tamanho dele é pocket, assim como a maioria dos mangás na Europa. Além disso, possui sobrecapa em todas as edições. O papel utilizado é branco, provavelmente offset. Seu preço é de 8 euros por edição.


ESTADOS UNIDOS


Nos Estados Unidos, Nisekoi começou a ser lançado em janeiro de 2014 e ganhou o subtítulo de “False Love”. Como era de se esperar, o mangá foi publicado pela Viz, braço americano da Shueisha (e da Shogakukan). Publicado bimestralmente, Nisekoi ganhará o volume 20 em março deste ano nos Estados Unidos.

O mangá tem o formato 12,7 x 19 cm e custa 9,99 dólares por volume. Como é costume, não há sobrecapa. Essa versão pode ser comprada diretamente na Amazon brasileira e paga em reais, clique aqui para ir ao site da Amazon.


FRANÇA


Na França, Nisekoi começou a ser publicado em setembro de 2013 pela editora Kazé (a mesma que publica o mangá na Alemanha) e está em circulação até hoje. Neste mês de fevereiro foi publicado o volume 23. Por lá, obra ganhou o subtítulo de “Amours, mensonges et yakuzas!” (amor, mentiras e Yakuza). 

61hwdh0anxlDiferentemente da Alemanha, na França o mangá não ganhou uma versão digital ou pelo menos nossas pesquisas não indicaram existir.

O mangá teve o formato 11,4 x 17,6 cm e, como é costume na França, sobrecapa em todas as edições. O preço de cada volume foi 6,79 euros. O mangá ainda ganhou um box contendo os três primeiros números.


ITÁLIA


A versão italiana de Nisekoi é publicada pela editora Star Comics (mesma de Your Lie In April) desde março de 2014 e a empresa colocou o subtítulo de “False Love”, assim como nos Estados Unidos. A publicação do mangá ocorre de um modo um pouco singular. O segundo volume foi publicado já em abril de 2014, após isso tornou-se trimestral. Parece ser uma estratégia adotada sempre pela Star Comics, lança os dois volumes seguidamente e só posteriormente coloca a periodicidade.

O título acabou paralisado na Itália após o volume 11, publicado em julho de 2016. Agora em fevereiro, a editora divulgou o retorno. Muitos leitores não gostam da periodicidade desse título já que se trata de uma obra concluída no Japão.

A obra teve o formato pocket (11,5 x 17,5 cm) e sobrecapa em todas as edições. Seu preço é 4,30 euros.


MÉXICO


cubierta-nisekoi-panini-comics
Fonte: http://mangamexico.blogspot.com.br

O mangá Nisekoi chegou ao México em junho de 2016, pelas mãos da editora Panini. O mangá está saindo mensalmente e em fevereiro de 2017 foi lançado o volume 9. Um dado curioso é que mesmo sabendo se tratar de um mangá shonen, a Panini mexicana o licenciou pensando nas garotas, visto que outras séries shoujo estavam acabando

nisekoi-para-chicas
Fonte: Manga México

A edição mexicana é comum e não possui sobrecapa. Aparentemente não é costume de se colocar esse acessório no México. O papel utilizado parece ser um tipo de papel jornal mais grosso. Adaptando as palavras do blog Manga México, as folhas são do mangá são “um tanto porosas e possui uma cor de creme”.

O mangá começou custando 75 pesos mexicanos e hoje custa 85. Para saber mais sobre a edição mexicana você pode conferir a resenha feito pelo blog Manga México, clicando aqui. Nessa resenha, ele ainda compara com a versão espanhola da Ivrea^^.

***

Em Portugal e na Argentina o título é inédito. Aqui no Brasil, Nisekoi chega em junho e deverá ter periodicidade mensal, se a Panini não mudar de ideia até lá. Salvo uma grande, enorme e absurda surpresa, o formato do mangá deve ser o padrão da editora 13,7 x 20 cm e miolo em papel jornal, conforme fala da empresa na época do anúncio…

nisekoi

Aos que não gostam de papel jornal é importante lembrar que mangás da Weekly Shonen Jump em seu primeiro lançamento dificilmente aparece em papel offset. Nos últimos tempos, tivemos apenas o Naruto Gaiden, mas esse só possui um volume. Antes dele somente a Conrad fez isso, o resto foi tudo lançado em papel jornal. Apenas os relançamentos é que costumam vir em offset e mesmo assim não é garantia, visto Dragon Ball e possivelmente Dr. Slump.

Isso não é algo que deva mudar a curto prazo. Mangás infanto-juvenis como Nisekoi tendem a ser vendidos por um preço mais baixo para que mais pessoas possam comprá-lo, já que seu público alvo são adolescentes e jovens e não adultos. Ainda que a diferença pareça de poucos reais é preciso estar ciente que há consumidores que compram muito mais do que um mangá e qualquer dois ou três reais faz diferença para o público alvo…

***

Leia também:

A publicação de Shigatsu wa kimi no uso pelo mundo

-A publicação de Sakamoto desu ga? pelo mundo

Curta nossa página no Facebook

 Nos siga no Twitter

BBM

Anúncios

9 thoughts on “Curiosidade: a publicação de Nisekoi pelo mundo…”

  1. O pessoal ainda acha que mangás da Shounen Jump ou qualquer outro da categoria tem que ser publicados aqui em formato de “luxo”(pff, não sei que luxo). Não vêem que mangás como Nisekoi tem como público alvo adolescentes, diferente de obras como Vagabond e Blame!, que tem em sua maioria adultos que podem arcar com o custo. Fala que o mangá poderia custar 3 ou 4 reais a mais, mas fica reclamando quando o mangá não tem em lojas online pra pegar com desconto, diferente do pessoal que paga o preço de capa na banca. Ainda reclama e bota a culpa nos “infelizes” que não podem arcar com os mangás.

    Curtir

  2. Como você bem disse, deve vir no formato brite realmente, afinal, são 25 volumes e será mensal, então dificilmente vai custar 17/18 reais.

    Bom, o logo é internacional pelo visto, só espero que não façam igual ao mexicano (justo o da Panini) pois achei mais “feio” esteticamente.

    Fico curioso sobre o subtítulo, pois ficou bem dividido: 2 países com False Love, 2 com Amor, Mentiras e Yakuza e 2 sem subtítulo. Comparando com o mexicano da Panini, creio q deve vir sem.

    https://itadakimasuanimes.wordpress.com/

    Curtir

  3. A capa mais feinha é a mexicana e a que mais me agradou foi a americana (pasmem, já que os americanos adoram destruir as capas dos mangás). Não entendi o motivo da panini alterar algumas cores e a fonte do logo na versão mexicana. Acho que ficou sem necessidade.
    Espero que a panini não faça a mesma coisa aqui nem com Nisekoi nem com Your Lie in April.

    Sobre papel, eu entendo que o público alvo e a periodicidade tem influencia na precificação e ficaria sem sentido lançar com papel melhor e maior preço, mas ainda assim não gosto do brite. Poderia aceitá-lo se fosse um brite de qualidade e com gramatura boa. Dizer que em outros países é lançado em jornal não vale de nada para o brasil pois aqui o brite é de baixíssima gramatura, nem se compara ao brite japonês e americano.

    Curtir

    1. Nesse caso, eu acho que os americanos destruíram a quarta-capa (contracapa). Muito diferente da usada em outros países.

      Eu adorava o papel jornal usado pela JBC em 2014.Lúcifer e o Martelo, After School of the earth e várias títulos da época possuem um papel muito melhor do que qualquer outro mangá lançado antes ou depois… Um desavisado sequer saberia que é papel jornal…

      Curtir

  4. mesmo eu repudiando qualquer papel jornal esse do lucifer e o martelo e os primeiros volumes do magi eram ótimos. só não sei o porque da jbc não ter trazido mais esse tipo de papel

    Curtir

    1. Pelo que eu soube, a gráfica que a Jbc usava faliu e o brite que ela usava era brite americano. Meus volumes de Blue Exorcist até hoje estão intactos, não estão amarelos nem nada, ainda estão com a cor creme amarelado de quando eu os comprei. Em comparação com os volumes de Naruto que comprei na mesma época, mas que já estão amarelos, e o papel era bem vagabundo se comparado ao de Blue Exorcist que era apenas R$1 mais caro e acompanhei junto de Blue Exorcist.

      Curtir

Os comentários estão encerrados.