Retrospectiva

Retrospectiva 2016 – Editora NewPOP

NEWPOPRecessos e diminuição…

O ano de 2016 foi de mudanças e problemas para a editora NewPOP. Crise econômica no país e falta de papel fizeram a editora não cumprir sua meta de lançar inúmeros títulos. O resultado disso, na verdade, é que houve até mesmo uma diminuição na quantidade de obras publicadas.

Tal qual a JBC, o ano de NewPOP não foi tão bom, quanto poderia ser. De todo modo, a empresa conseguiu concluir mais algumas de suas séries e, também, fazer alguns lançamentos. Vejamos em detalhes:


1 – Problema com papel


O ano começou errado para a editora. O fornecedor de papel da empresa acabou com a carga presa no Porto Santos por burocracias fiscais e isso fez com que vários lançamentos fossem adiados. Log Horizon, por exemplo, que sairia em fevereiro só foi publicado no meio do ano, durante o Anime Friends.

Vários títulos em publicação também foram adiados e muitos dos prometidos lançamentos ficaram para 2017.


2 – Atrasos


Falar de atrasos acaba sendo redundante, visto o problema com papel. Mesmo assim não se pode deixar de observar a demora de publicação de vários títulos. Além dos problemas com papel, acredita-se que a crise econômica fez a editora diminuir o número de lançamentos e isso impactou a publicação de várias obras, ocasionando vários atrasos.

Para se ter uma ideia, em 2015, a editora lançava uma média de 3 a 6 obras por mês, fora mês de evento. Em 2016, o máximo lançado foram 3 obras, fora o mês do Anime Friends. No todo, em 2015, a editora NewPOP publicou 46 volumes entre mangás e novels. Em 2016, foram apenas 26. Vejamos a situação de alguns mangás da empresa durante o ano.

Don Drácula: demorou um ano para ter seu terceiro e último volume publicado.
Drug-on: demorou bastante para ter seu quinto e último volume publicado.
Loveless: teve apenas um volume publicado durante todo o ano.
Alice Hearts: teve apenas um volume publicado durante todo o ano.
Nº 6: teve apenas um volume publicado durante o ano. Sua demora, porém, é diferente. A editora japonesa pediu para que o volume da novel se equilibrasse com o volume do mangá.
Hetália: não teve nenhum volume lançado este ano. Falta apenas um para ser concluído. Segundo a editora houve problemas com a recepção do material que demorou muito.

3 – Mudança de distribuição


Em fevereiro, mudança na empresa. A editora resolveu abandonar as bancas de revistas e passar a distribuir seus novos títulos exclusivamente em livrarias e lojas especializadas. Essa mudança acabou vindo em conjunto com as feitas por suas duas principais concorrentes. Leia mais sobre isso aqui.


4 – Assinaturas


Em março, a editora NewPOP iniciou seu próprio sistema de assinaturas. O início do sistema ocorreu juntamente com as mudanças de distribuição feitas pela editora.


5 – Revisão


Um dos maiores gargalos da editora continuou a existir durante o ano, os problemas de revisão de texto. Se em vários títulos você percebia um cuidado maior, praticamente não encontrando erros, como em Usagi Drop, em outros, contudo, você batia o olho e encontrava erros muito facilmente, como em Helter Skelter. Logicamente, as críticas foram inevitáveis.


6 . Pesquisa


Em dezembro, a editora colocou no ar uma pesquisa para o público escolher qual a próxima obra da franquia Madoka a ser publicada. A editora ainda inovou e fez uma interessante consulta de opinião, perguntou aos leitores quais outras obras ainda não licenciadas (ou não anunciadas), os consumidores gostariam que fosse publicadas no Brasil. Confira mais detalhes aqui.


7 – Títulos lançados em 2016


Em 2015, a editora NewPOP começou a publicar 15 novas obras, sendo doze mangás e três novels. Em 2016, esse número diminuiu bastante, foram 6 títulos novos, sendo 5 mangás e uma novel. A grande maioria desses títulos foi de volume único.

Josei: Helter Skelter (1 volume);
Yaoi: Fallen Moon (1 volume);
Seinen: O jardim das palavras (1 volume);
Nacional:Hansel & Gretel;
Shonen: Log Horizon – mangá;
Novel: Log Horizon.

A NewPOP também publicou uma Graphic Novel americana, mas como não entra no nosso mundinho particular dos mangás, não contamos ele.


8 – Títulos concluídos em 2016


Em 2015, quatro obras da editora chegaram ao fim. Em 2016, três delas tiveram suas conclusões:

Drug-on (março);
Don Drácula (outubro);
Puella Magi Kazumi Magica – Malicia Inocente (dezembro)

Usagi Drop também “terminou”. Mas como ainda falta o volume 10, que contém histórias extras não contaremos ele.


9 – Mangás publicados durante o ano



10 – Novels publicadas durante o ano



11. Títulos licenciados


-Suicide Club: 0 de 01
-Corpse Party – Another Child: 0 de 03
-Girls und Panzer: 0 de 04
-Puella Magi Madoka Magica: The Rebellion Story: 0 de 03
-Puella Magi Suzune Mágica: 0 de 03
-Puella Magi Madoka Magica: Homura Revenge: 0 de 02
-Star of Eroman: 0 de 02
-Velvet Kiss: 0 de 04
-Niji no Prelude: 0 de 01
-Pinocchio: 0 de 01
-Shin Takara-jima: 0 de 01
-Manga Daigaku: 0 de 01
-Morte – Light novel: 0 de 03
-Dark Metrô: 0 de 01
-Café Kochijoji de: 0 de 03
-Gagoze: 0 de 05
-Category: freaks: 0 de 04
-Guia de produção de mangás (nacional): 0 de 01
-Dead Zone (nacional): 0 de 01

***

Leia também:

Retrospectiva 2016 – Editora JBC

Retrospectiva 2016: uma nova perspectiva para shoujos e joseis no Brasil?

Retrospectiva 2016: De novo, o ano dos relançamentos

Retrospectiva 2016: Mudanças de distribuição

Retrospectiva 2016: Databooks e Artbooks

Retrospectiva 2016 – O escasso ano de Light Novels

***

Curta nossa página no Facebook ou nos siga no Twitter para se manter informado.

BBM

Anúncios

6 thoughts on “Retrospectiva 2016 – Editora NewPOP”

  1. Puella Magi Madoka é um dos títulos que menos falta da New Pop, é tanta coisa da Madoka pra decidir que a gente até se perde né?
    Acho que também outra coisa digna de ser mostrada é Hansel & Gretel. Além de ser um nacional, coisa que é muito importante, foi anunciado a sete anos atrás mais ou menos. Eu lembro que estava lendo a Neo Tokyo, que é um revista especializada, na qual fizeram uma entrevista dizendo que iriam lançar o projeto no ano seguinte. A dedicatória do autor e a justificativa foram muito lindas. O ambiente e o traço dos mangás são muito legais, é um bom mangá para se ler sentado no sofá relaxando.
    Cara a New Pop é muito boa por não desistir e acreditar no mercado potencial, e licenciar títulos que a maioria não curte muito. (Mainstream)
    Me apaixonei pelos 4komas que ela lança. Esse ano elas mudaram muitas políticas, até organizar tudo certinho é bem difícil. Espero que tenham mais sorte no ano que vem.
    Hetalia e Girls Und Panzer *u*!

    Curtir

  2. Eu curto a New Pop, principalmente pelas novels e pelas obras não mainstream, torço por eles. Como é uma editora menor, ter que rever as metas de 2016 era praticamente obrigatório para se manter viva no mercado. Melhor reduzir os lançamentos do que esvaziar o caixa da empresa e depois ter que fazer algum cancelamento que é um tiro no pé não apenas para a NP como para todo o mercado editorial de mangás.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s