Matérias

A Itália e os mangás encartados a jornais

OnePiece-Gazzetta_bigO poder dos quadrinhos na Itália

 

No auge da febre Pokémon no Brasil, tornou-se comum que vários jornais do país começassem a encartar uma vez por semana, uma revistinha da série, em que acompanhava adesivos e informações sobre os monstrinhos de bolso. Alguns jornaleiros vendiam apenas a revista, outros exigiam que se comprasse o jornal junto. E as crianças, ávidas por essas “maravilhas”, pediam dinheiro aos pais para comprar os jornais e a revista para que pudessem incrementar sua coleção (e se mostrar aos amiguinhos^^).

Hoje sabe-se que várias dessas revistas não tinham licenciamento e muitas delas só circulavam em estados e cidades mais afastados dos grandes centros urbanos brasileiros. Porém, independente de se ter licenciamento ou não, Pokémon era realmente muito conhecido em todo o país e ter uma revista da série encartado a um jornal era uma forma de divulgação de ambas as marcas, jornal e Pokémon.

Atualmente, entretanto, nenhuma série japonesa possui o mesmo impacto no Brasil que Pokémon tinha na época e nos parece improvável vermos qualquer coisa relacionada a mangás ou animes sendo distribuído junto a jornais.

O mesmo não acontece na Itália. Nesse país animes e mangás ainda são famosos, ao ponto de grandes jornais italianos firmarem parcerias com editoras e encartarem mangás a eles. Por aqui, a gente não fica sabendo dessas notícias, pois a maioria dos sites e blogs sobre mangás e animes só costumam noticiar coisas dos Estados Unidos e relegam outros grandes mercados como a França e a Itália.

Foi somente em abril deste ano que ficamos sabendo dessa prática, quando a editora italiana Star Comics colocou para ser vendido junto a dois jornais italianos (o CORRIERE DELLA SERA e La Gazzetta dello Sport) o famoso mangá One Piece (Não, na Itália não é a Panini que lança^^). Essa é a terceira edição de One Piece publicada pela Star Comics e conta com um novo formato, vários conteúdos extras, comentários do autor, poster na primeira edição, entre outros detalhes.

One Piece custa apenas €4,99 ( €5,99) + o preço do jornal e possui periodicidade semanal. Isso mesmo, nesta nova edição é publicado um volume por semana! Periodicidade impensável no mercado brasileiro atual. Por ora, serão lançados “apenas” as 66 primeiras edições. A obra ainda pode ser comprada diretamente no site do La Gazzeta dello Sport, sendo que a coleção está com 17% de desconto, saindo a € 329,00 (aproximadamente 1200 reais). Clicando aqui vocês podem conferir os preços e as capas dos volumes já publicados. Infelizmente, só quem mora na Itália pode adquirir a coleção.

one-piece
One Piece (Star Comics)

Mas não é só a Star Comics que fez parceria com os jornais. A editora Panini irá relançar, junto ao Corriere dello Sport, o mangá Cavaleiros do Zodíaco: The Lost Canvas. Assim, como o One Piece da editora concorrente, The Lost Canvas será publicado em periodicidade semanal e custará €4,99 + o preço do jornal.. A primeira edição sai amanhã, dia 27 de setembro de 2016.

Não foi apenas agora em 2016 que isso ocorreu na Itália. Ano passado, a própria Panini relançou Naruto junto ao jornal La Gazzetta dello Sport, mas apenas os 27 primeiros volumes. Trata-se de uma prática que se iniciou bem e parece estar dando certo na Itália, tanto para a editora, quanto para os jornais.

***

Embora tenhamos dito que a editora “tal” resolveu relançar, a verdade é que o interesse e a proposta veio dos próprios periódicos, segundo conseguimos apurar. Aparentemente os quadrinhos são muito valorizados na Itália e isso facilita a um jornal querer promover a chamada nona arte. O La Gazzetta dello Sport, por exemplo, antes de publicar Naruto encartou alguns quadrinhos diversos junto a seus jornais e foi o sucesso deles que fez o jornal ir atrás dos shonens de sucesso.

Isso é algo inimaginável em nosso país. Os motivos para a inviabilidade de tal empreitada no Brasil são vários e não cabem nessa postagem. Hoje queríamos apenas apresentar a vocês essa interessante forma de publicação na Itália que praticamente ninguém conhece, já que nossa “mídia especializada” só costuma falar de lançamentos e das práticas feitas nos Estados Unidos. Talvez, em outra oportunidade, façamos uma postagem sobre a inviabilidade de se atrelar mangás a jornais no Brasil^^.

***

E você, leitor, o que achou dessa ideia italiana? Conhece outros país em que isso também é ou já foi feito? Acha que poderia ser usada no Brasil?

BBM

Anúncios

15 comentários em “A Itália e os mangás encartados a jornais”

  1. Se não estou enganado esses jornais são nacionais, algo que nós não temos no Brasil. Aqui, cada estado tem o seu (ou seus) jornais centrais, mas nenhum que tenha uma publicação a nível nacional como ocorre com o La Gazzeta dello Sport por exemplo. Claro que não é o único motivo, mas já ilustra um pouco.

    Já sobre a questão das parcerias, sei que tem muita burocracia, mas acho que as vezes falta um pouco de vontade das editoras de tentar. Claro, não com jornais, mas com outras revistas.

    Por exemplo a Abril, porque a editora nunca tentou fazer esse tipo de promoção? Colocando um dos mangás Disney numa edição da Caras naquele tipo bem chamativo “Pra mamãe e pro filho”, ou uma edição de Star Wars na Super Interessante, até mesmo aproveitando uma das muitas edições da revista que falou do filme.

    JBC e Panini enfrentam a dificuldade da Abril ser uma concorrente deles em mangás, por isso ficaria mais difícil. Porém acho que faltou uma tentativa mais “pesada” das editoras em seus mangás “infantis”, como Super Onze e Yo-Kai Watch!. Não adianta apenas fazer um formato diferente se as crianças não saberem o que procurar.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Jornais no Brasil são setorizados por causa do tamanho do país, vale lembrar que há estados brasileiros imensamente maiores que os países europeus. Ainda mais num país como a Itália que é levemente maior que o estado de São Paulo, com a população concentrada.

      Curtido por 2 pessoas

        1. Na verdade não exatamente… Isso poderia tornar a coisa MAIS viável. Por exemplo, é fato que a cidade de São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre e Fortaleza são as capitais de maior concentração otaku, logo são as zonas em que essa “parceria” poderia dar certo. Não ter que enviar para Aracaju, Manaus, Goiânia e Rio Branco acaba sendo um benefício, haha.

          Curtir

  2. “Isso é algo inimaginável em nosso país. Os motivos para a inviabilidade de tal empreitada no Brasil são vários e não cabem nessa postagem.”

    Isto poderia ser, realmente, a matéria de um Desmistificando.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Matéria muito bacana.

    A Panini vez ou outra encarta album de figurinhas da Copa ou do Campeonato Brasileiro nos jornais, seria legal se fizesse isso com mangás também. Talvez fosse uma forma de resgatar as vendas dos jornais impressos.

    Curtir

  4. Em Portugal também fazem isso, lançaram Dragon Ball e outros numa coleção.

    Segundo Sidney Gusman, Jornais se recusam a publicar coleções de quadrinhos, até Turma da Mônica eles recusaram

    Curtir

    1. Se recusam primeiro que são uns idiotas. Segundo, que não têm visão empreendedora e não conseguem enxergar longe, já que a incompetência par isso é muito grande. Quando uma empresa quer ganhar dinheiro, conquistar e aumentar o seu público, é preciso ter um diferencial: algo que ninguém mais faz. Este é o segredo do sucesso.

      Curtir

Deixe sua opinião. Seu comentário é muito importante para nós^^.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s