Matérias

Por que a JBC não manda seus produtos para as bancas lacrados?

312Dúvida cruel…

Não raramente alguma pessoa fica incomodada com o fato de a editora JBC não mandar os seus mangás lacrados para as bancas de revistas e se perguntam o porquê de a empresa não seguir o procedimento de embalar os produtos tal qual sua principal concorrente faz.

Grande parte da reclamação gira em torno de, em muitas cidades, os mangás chegarem constantemente em mal estado devido à falta de cuidado de manuseio por parte da distribuidora. Como estas dúvidas se repetem, vim aqui desvendar esse mistério.

***

Resposta oficial

A resposta oficial da editora está descrito no F.A.Q. presente no site da empresa (clique aqui para ler). Segundo a JBC, embalar os produtos não é uma atitude ecologicamente correta e, por isso, eles só colocam lacre plástico em produtos com algum tratamento especial – verniz na capa, por exemplo – ou por determinação legal – produtos para maiores de 18 anos.

O que eu acho? É realmente muito bom que uma empresa se preocupe com o meio ambiente dessa forma e seria muito importante que todas as demais editoras buscassem esse tipo de comportamento, afinal nos dias de hoje a sustentabilidade é essencial. Mas não se pode negar que essa resposta não é totalmente satisfatória. O discurso é bonito e tudo mais, porém existem detalhes que questionam essa preocupação da empresa.

Os produtos enviados pelo seu serviço assinatura, por exemplo, costumam ser enviados em embalagens plásticas e, além disso, diferentemente dos mangás das bancas, são lacrados. Salvo engano, tanto as embalagens, quanto o lacre não são biodegradáveis e isso coloca um ponto de dúvida na resposta oficial da editora de preocupação com o socioambiental. Os títulos enviados para livrarias muitas vezes também são lacrados, impedindo que possamos folheá-los nesses ambientes. Por que a preocupação ambiental ocorre somente com os títulos enviados para as bancas? Mesmo que o volume de assinaturas e títulos para livrarias seja menor, ainda assim a preocupação ambiental não deveria ser a mesma?

Motivos e benesses

A política da JBC de não lacrar seus mangás enviados para bancas é, antes de tudo, uma medida de economia para a empresa. Por não ter que embalar volume a volume, a editora corta um pequeno gasto, gerando economia que, mesmo pequena, pode fazer diferença para os cofres da JBC. Essa é uma das táticas de economia que a editora precisa fazer para se manter forte e competitiva no mercado…

Mas não é só para a empresa que essa medida é boa. Por mais que alguns leitores reclamem, a verdade é que isso é muito bom para eles também, pois podem folhear o título, ver se os desenhos os agradam, se a história realmente é boa e se o papel utilizado condiz com o preço. Com isso, o leitor pode decidir se irá ou não comprar com uma base mais sólida do que uma mera sinopse e informações de divulgação. É simplesmente a mesma lógica dos livros nas livrarias e das histórias em quadrinhos Disney e Turma da Mônica que temos a possibilidade de folhear antes de comprar.

Não somente isso, se o mangá tiver algum problema de impressão (páginas repetidas, por exemplo) você terá a chance de ver na hora e avisar ao jornaleiro do problema e, consequentemente, não precisará ter que retornar ao local que comprou para trocar, como costumeiramente acontece com os títulos da Panini. Vale lembrar que nem todo mundo mora em São Paulo ou grandes cidades em que existe banca em todo canto. Muita gente precisa pegar ônibus (eu!) ou caminhar longas distâncias até encontrar uma banca que vende mangás, então qualquer problema gráfico dentro do quadrinho significa um gasto a mais não planejado.

É lógico que existe o problema de transporte e manuseio que pode fazer o mangá chegar em mal estado a algumas cidades, porém esses problemas ocorrem mesmo com os títulos lacrados como provavelmente todos vocês já viram com mangás de outras editoras. Deixei de comprar Pandora Hearts, pois os únicos exemplares que tinham na banca estavam amassados. Ou seja, a falta de cuidado no transporte acontece com os mangás de todas as editoras, independente de ser da JBC ou da Panini. A questão é que – entre os benefícios e os malefícios – realmente é muito melhor para o consumidor poder folhear o produto que pretende levar.

***

“Então você está dizendo que eu devo aceitar um produto defeituoso?”. O fato de o mangá não estar lacrado não significa que ele esteja defeituoso. O defeito acontece com a falta de cuidado com o manuseio. Se você chega em uma banca e todos os produtos de um certo título estão avariados, basta não comprar, obviamente, assim como eu fiz com Pandora Hearts. Ninguém obriga você a comprar o que você acha ruim, simples assim^^. Entretanto, vale lembrar que o mau estado dos mangás acontecia principalmente em cidades de fase 2 (a minha inclusa), no qual recebíamos as sobras das vendas de São Paulo e Rio de Janeiro. Mas agora como todos os mangás da editora tornaram-se de distribuição nacional isso deve diminuir gradativamente. Por aqui (Vila Velha/ES) já não tenho encontrado tantos mangás mal-conservados, como era antes.

Em resumo, defendo que reclamar que o produto não vai lacrado para a banca é simplesmente besteira. Não é porque Panini manda seus produtos lacrados que isso é necessariamente o certo, visto que retira do leitor a possibilidade de averiguar o produto antes de se decidir a comprar.

O que se deve mesmo questionar da JBC, então, é o porquê de alguns produtos para livrarias serem embalados! Acaso quem compra em livraria não tem o direito de folhear o produto? Fora casos como o volume 2 de Anohana (que veio com um postal de brinde para lojas especializadas) qual o problema de mandar os mangás para livraria do mesmo jeito que para banca, abertos, sem lacre? Por que o pessoal que compra em livraria não pode ter o mesmo direito do que os que compram em banca de revista?

***

BBM

Anúncios
Com a tag

20 thoughts on “Por que a JBC não manda seus produtos para as bancas lacrados?”

  1. Sobre os mangás de livraria, acredito que o lacre é feito pela própria livraria. Digo isso porque compro sempre Eden na Ligahq e ele nunca vem com um lacre, igualmente aos outros produtos da JBC.

    Curtir

      1. Discordo. sempre compro em livrarias diferentes determinadas series (de acordo com o desconto 😛 ) e não existe um padrão de lacre. quando é da editora q vem lacrado nem sempre condiz com de outras livrarias. o tipo de plastico variam e dificilmente a jbc ficaria trocando de plastico entre edições;

        E acabei de receber Figure Maker da newpop comprado na cultura sem lacre nenhum!! e com a capa soltando! ¬¬

        Curtir

        1. Depende, se mudam de gráfica pode mudar o plástico sim^^. Mas eu também faço isso de comprar em várias livrarias online e sempre me pareceu o mesmo plástico, igualzinho os vindos por assinatura.

          Mas, no comentário acima, eu estava falando de livrarias físicas. O que eu quis dizer é que não faz muito sentido a Saraiva (basicamente a única livraria a vender mangás na minha região) lacrar os mangás da JBC, enquanto mangás e outros quadrinhos de outras editoras, como os da L&PM, ficam totalmente sem lacre para todo mundo ver e folhear. Por qual motivo a Saraiva faria isso? Preconceito com mangás da JBC? Rs

          São bem poucos os mangás da JBC que ficam na Saraiva sem lacre e a gente facilmente vê que os que estão sem é porque mexeram muito e, aos poucos, foi soltando o plástico até que alguém tirou. Mesmo na antiga livraria Leitura da minha região (recentemente fechada) a coisa era igual e só os mangás mais antigos não possuíam lacre nenhum…

          ——

          Entre em contato com a cultura e troque o Figure Maker. Acredito que deve ter acontecido exatamente o que descrevi acima. Muitas pessoas devem ter folheado e com o tempo já era a edição bacanuda. Rs

          Curtir

  2. O bom do mangá não estar embalado, e que posso dar uma olhada e verificar se o mangá está com algum problema, como aconteceu sábado quando comprei o vol. 4 de Red Garden e quando comprei Tokyo Ghoul do vol. 3 ao 5.

    Curtir

      1. Vitamin de fato foi sem lacre pras bancas.
        E também acho que pelo menos os mangás com capa fosca deveriam ir com plástico já que qualquer risquinho na capa fica bem evidente…

        Curtir

          1. Em livrarias ou bancas mesmo? Porque tanto no lançamento, quanto nas esporádicas vezes em que a JBC manda uns mangás de volta pras bancas, eu nunca vi GB com plástico.

            Curtir

  3. Lembro que comprei alguns volumes de Eden na loja virtual da Saraiva. Dos 4 volumes comprados, 3 vieram lacrados, o outro veio sem plástico. Por que será? Será que esse volume foi exposto em alguma loja, voltou para o estoque da Saraiva e depois foi vendido para mim?

    Curtir

    1. Realmente o lacre é realizado pela loja e não pela JBC. Na Comix os materiais chegam sem lacre e são colocados em sacos plásticos. A Amazon costuma enviar lacrados enquanto Saraiva e Fnac não parecem ter isso como padrão. Mas, em comum todos tem o fato de receberem os produtos sem lacres, exceto, nos casos em que a editora especifica.

      Curtir

  4. Pra quem já conhece tudo e sabe o que vai comprar, poder folhear o mangá não faz tanta diferença, mas pros outros eu entendo.
    Minha cidade era fase 2 e o bagulho era tenso, já deixei de comprar vários volumes por conta do estado.
    Também ajudaria se as pessoas que olham nas bancas manuseassem os mangás com um minimo de cuidado.
    Eu tirei essa foto na banca onde trabalho e lembro de ter exposto todos as unidades de Magi 19 bonitinhas lá, ai quando fui recolher a que sobrou tava desse jeito (http://imgur.com/hm9eyUZ). Não sei como nem quando fizeram isso, mas fizeram ;-;
    Fora alguns exemplos menos extremos de capas com orelhas, alguma página um pouco rasgada e algum amassado de ter posto o mangá de volta na prateleira de mau jeito, etc…
    Por mais que o transporte também tenha culpa, meu maior inimigo são os outros (quase) consumidores 😄

    Curtir

    1. Será que foram realmente os outros que fizeram isso? Ou foi você que não reparou isso como realmente deveria? Eu lembro que quando eu comprava mangás na banca perto da minha casa, um exemplar do manga de Rurouni Kenshin e que eu havia pegado do pacotão recém chegado da distribuidora na banca, estava com um enorme buraco no meio do título. E olha que o pacote da distribuidora tinha acabado de chegar e eu o tirei dele.

      Curtido por 1 pessoa

      1. Eu moro no interior e aqui não tem tanta venda de mangá, por isso nós recebemos poucas unidades de cada. Magi por exemplo, recebemos apenas 3 ou 4 unidades de cada volume. Além disso, eu guardo uma delas pra um amigo meu que coleciona, e como mania, eu olho todos os volumes e escolho o que está em melhor estado (todo mundo faz isso, acho). Acredite, se tivesse um rombo assim quando eu estava guardando, eu teria notado 😄

        Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s