Desmistificando

Desmistificando: A Polêmica por Trás de NGNL

sora-shiro-no-game-no-life-anime-hd-wallpaper-1920x1080

O que é o questionável uso de tracing?

Talvez você já tenha ouvido alguém comentando como o autor supostamente abandonou o mangá de No Game No Life ou o anime por ter sido pego copiando as artes de outros artistas e autores. Embora esse não seja o motivo oficial dos problemas e supostos “abandonos” dessas duas mídias, de fato o autor foi pego fazendo tracing em toda, literalmente toda, a franquia de NGNL, no mangá, capas e extras do anime e também no novel.

Mas o que seria “tracing“? Para ser verdadeiramente uma cópia de algo, aquilo tem que ser literalmente a reprodução de forma “fiel” em outro lugar. Casos disso aconteceram e acontecem o tempo todo em todo lugar, inclusive nos mangás, mas esse não é exatamente o caso de NGNL. Tracing é uma cópia parcial, é quando o autor utiliza outra obra por baixo do papel para traçar por cima o contorno ou pedaços do traço original (ou qualquer outra forma de sobreposição).

Tracing está numa linha invisível entre copiar e usar de material de referência que, embora extremamente polêmico, é difícil de processar ou de criminalizar. De fato, tracing é usado o tempo todo com fotos, tanto no passado, como os casos de “Slam Dunk” e as fotos da NBA, tanto no presente, com o autor de “Ajin” utilizando fotos do autor Hugh Laurie.

tumblr_nlr2teKz4G1r9sex0o1_500   bLH3fzg

No caso das fotos, entretanto, estamos falando da passagem entre um tipo de imagem real para um desenho e, por mais que haja a sobreposição e cópia de contornos, por causa disso existe uma diferença conceitual importante dentre os dois. É por isso mesmo que é até difícil provar se é de fato um tracing ou se o autor apenas usou de base, de material de referência. É possível também que o autor faça tracing de materiais que ele mesmo fez, como os artistas que usam fotos de cidade e locais tiradas por eles mesmos (um exemplo disso é o autor de “Sun-Ken Rock”).

1O6tlDpMaterial de referência todos os mangakás usam, sério, especialmente os autores com aquele traço mais realista, é impossível de se desenhar os músculos em um cavalo sem ver um cavalo real via foto, esquema anatômico. Mas mesmo os autores de traços mais simples também usam para desenhar cenários, monumentos, cidades, animais ou o que seja, é necessário ter um modelo ou já ter pelo menos visto uma vez na vida. Existem até bonecos anatômicos e livros de material de referência para autores, o mais interessante que já vi foi um imenso de fotos de pessoas se despindo, literalmente mais de cem páginas de modelos tirando cada pedaço da vestimenta passo a passo. A importância do material de referência é tamanha que editoras pagam e bancam pesquisas e viagens ao redor do mundo para seus autores mais prestigiados.

Mas voltando ao ponto, é muito difícil de se destingir entre material de referência e tracing de foto, o autor tem que copiar muito e muitos detalhes para percebermos o tracing sendo usado. Só que nada disso é o caso de NGNL, o autor Yuu Kamiya e seu jeitinho brasileiro não faz tracing de foto, e aqui que mora a grande polêmica, ele faz tracing de ilustrações de outros artistas, sejam elas de mangás, ilustrações, fanarts e até capas de CD. Uma coisa é ter um traço parecido, como “One Piece” e “Fairy Tail” ou “Naruto” e “666 Satan”, outra coisa é copiar na cara dura o contorno e posição na arte, parte da criatividade e design, de outras pessoas sem lhes dar nenhum crédito.

cdn60.atwikiimg.comA polêmica do tracing em cima da arte de outros não está apenas no ato em si, mas na ideia de que para se fazer isso de forma abrangente o autor “trapaceiro” teria que ter uma biblioteca ou coletânea de imagens pré-selecionadas. Como assim? Pensa o seguinte, você já fez aquele trabalho ou projeto em que queria uma imagem ilustrativa? Quanto tempo você levou olhando imagens no Google até achar algo perfeito? Como blogueiros aqui da BBM, a gente sabe na pele como pode levar horas para achar aquilo que você precisa.

No caso de uma arte, a especificidade do que o autor precisa é imensa, se ele parasse e pesquisasse a cada imagem em fontes diferentes, o tempo que levaria tornaria o mangá impraticável. O que leva a acreditar que o autor na má fé colecione e vá guardando imagens que viu e tem interesse em usar no futuro previamente, o que com a internet é ridiculamente fácil, concorda? Essa constatação, somada ao uso excessivo e abrangente, mais a prática de tracing em si é o centro da polêmica em relação ao autor brasileiro.q.gif

Além dos problemas óbvios de autoria e direitos autorais que caem numa área difícil de se provar e processar, essas cópias ou plágios são consideradas trapaças e desrespeito, extremamente caçadas e criticadas pelo público. Por isso mesmo o caso de NGNL é super interessante, pois, como você verá abaixo, não há a menor dúvida que o autor pratica tracing, com sites dedicados a caçá-los e prová-los, mas o autor continua fazendo-o descaradamente, sem que a editora japonesa tenha tomado qualquer providência.

qwAparente NGNL vende tanto e tão bem que a maioria está disposta a fazer vista grossa e deixar o autor fazer o que bem entende, gerando, com razão, enorme descontentamento entre os fãs e aficionados por mangá e autores plagiados. Isso vem auxiliado também do fato de ser tão difícil de se processar algo assim, além da batalha judicial longa e controversa, que pode não dar em nada, o retorno financeiro de um processo desse é quase nulo, já que é apenas um pedaço do direito criativo de uma de muitas imagens e conteúdos de um livro. O valor de royalties associado a algo assim não pagaria de forma alguma os anos de advogados e audiências, ainda mais contra uma editora de grande porte, no caso a Kadokawa.

Até o momento, publicamente, nenhum plagiado comprou a briga e o autor continua abertamente praticando tracing sem dó, cada vez mais na cara dura. Muito provável que o novo volume, o nono, que saiu recentemente no Japão também terá várias de suas imagens questionadas com o tempo.

***

Mas bem, até aqui você já entendeu os problemas relacionados à prática de tracing e o que é, mas será mesmo que o autor pratica isso ou o pessoal está exagerando?

Questionamentos sobre Kamiya e tracing apareceram pela primeira vez em 2008, onde desenhos do autor na novel “Itsuka Tenma no Kuro Usagi” foram comparados a artes de “D.Gray-man” (abaixo). Na época, embora existisse semelhanças, não pareciam ser cópias, talvez no máximo ter usado de referência.

tracing1tracing2Em 2011, fãs começaram a notar várias semelhanças nas várias ilustrações do autor, criando a suspeita que ele criava seus desenhos em cima de outros. A suspeita deu à luz diversas descobertas.

No ano seguinte o autor lançou NogeNora, como NGNL é carinhosamente chamado pelos japoneses, e com isso veio mais uma enxurrada de casos de plágio. A partir daí, a cada novo volume, japoneses se unem numa caçada em busca de possíveis imagens copiadas.

Aí embaixo você verá uma lista extensa de casos e mais casos (comparando uma imagem do autor, na direita, a uma de outra fonte) onde há suspeita do uso de tracing, alguns são questionáveis, outros são inegáveis. Em alguns casos a sobreposição é tão absolutamente perfeita que a chance de ser mero acaso ou coincidência beiraria a chance de você ganhar na loteria seguidamente.

Se você prestar atenção nas datas (no Japão se escreve ano/mês/dia), dá para notar que as mais antigas parecem apenas ter sido usadas de referência, mas depois de um tempo a impunidade parece ter subido à cabeça do autor e as cópias começaram a ficar descaradas, especialmente em relação às mãos.

Clique em qualquer uma das imagens para ver um tamanho maior e mais detalhado.

Um último comentário, as descobertas e comparações são frutos dos esforços de várias pessoas, tais por sua vez foram recolhidas e divulgadas neste site. Não temos qualquer direito sobre as imagens ou responsabilidade pelas comparações e exatidão dos dados. Mais aparecem o tempo todo, de forma alguma temos a intenção de divulgar todos os casos imagináveis e existentes.


E esse foi o Desmistificando de hoje, a coluna semanal, lançada nas quintas-feiras, sobre o mercado e mangás brasileiros e internacionais. Você pode ver todas as outras postagens anteriores desta coluna aqui. Se você tem sugestões ou comentários utilize o formulário abaixo, são sempre bem-vindos! 🙂

Anúncios

24 thoughts on “Desmistificando: A Polêmica por Trás de NGNL”

  1. Eu já tinha visto maioria dessas imagens, e mesmo revendo agora a minha impressão continua a mesma. Claro, é inegável que tem imagens realmente idênticas e que fica muito difícil dizer que não foi copiada, porém tem algumas que me parecem “forçação de barra” do pessoal apenas para aumentar a polêmica.

    Tem algumas cenas de mão em que era meio óbvio que alguma outra obra (com tantas que existem) tivesse algo parecido, afinal, segurar uma peça de xadrez vai deixar a mão praticamente na mesma posição que segurar uma caneta. Ou um copo, que nem se parece com o da suposta cópia, e que se pegar várias páginas coloridas de One Piece a Nami vai estar segurando igual. Na imagem 33, o deus está segurando um livro e foi sugerido cópia de uma outra por causa do braço estendido, o que para mim é uma posição que qualquer um pensaria ao desenhar alguém escrevendo num livro.

    Agora, algumas é bem possível notar a cópia, como a de Blue Exorcist ou as de DGM.

    É como eu disse, umas parecem realmente cópias, outras apenas coincidências que se agravaram pela fama que o autor criou.

    Curtir

    1. Embora você esteja correto, caro Haag, e certas posições sejam “universais”, ninguém desenha a mesma coisa da exata mesma forma. Então se, por exemplo, pegar 30 autores diferentes desenhando uma mesma posição específica qualquer e sobrepor todas elas, você não vai encontrar nenhuma “igual”. O motivo é que, por mais que a posição seja a mesma, existem outros valores além da posição: proporção dos membros, mesmo as pessoas reais tem proporções diferentes e cada autor tem uma cerca mania, alguns desenham cabeções, outros pernões, outros mãozonas, um magro, outro gordo; angulação da imagem, cada autor usará uma angulação diferente, um corpo é um objeto 3D, existem diversas angulacões possíveis como um desenho visto de baixo para cima, um desenho visto de uma posição mais elevada; delineação de músculos e ossos, cada autor faz membros diferentes, alguns como One Piece são braços sem cotovelo, outros definem o cotovelo e músculos dos braços.

      O ponto é, não é verdade que seja possível chegar num mesmo desenho ao puro acaso por causa da posição, pois não se trata apenas disso. É impossível, estatisticamente 0, que duas pessoas consigam desenhar algo que ao se sobrepor tenham a exata mesma forma.

      Os GIFs ali em cima mostram exatamente isso, como os desenhos são exatamente os mesmo linha por linha do contorno corporal.

      Pensei em colocar também, mas achei muito complexo, o pessoal fez análise em cima de algum desses pares. Basicamente você põe duas imagens e o programa exclui tudo que elas não têm em comum na exata posição. É uma prova de cópia quando o resultado é um pedaço da imagem perfeitamente clara. Os resultados absurdos voltam com buracos e coisas sem nenhum sentido, exatamente por causa das pequenas diferenças pessoais. Várias de NGNL voltaram com pedaços inteiros.

      O caso 33 do livro é exatamente isso, o desenho tem as exatas mesmas proporções em cada ângulo, dobra, etc, e isso é impossível.

      Não é tanto a posição igual a palavra chave, mas TUDO igual, cada curva, cada ângulo, cada delineação. Isso é impossível.

      Curtido por 1 pessoa

  2. Não sabia dessa polêmica do autor.

    Olhando as imagens, realmente algumas são cópias na cara dura mesmo, especialmente de mãos. Mas outras são meio forçação de barra, aparentemente pra aumentar a polêmica. Como o @haag comentou acima, muitas posições são naturais de se pensar pra certa ocasião, então fica difícil dizer se foi tracing ou não.

    Me incomoda um pouco essas coisas com autores, mass, enfim, não deixarei de ler uma boa obra por isso.

    Curtir

  3. Caraca. praticamente todos os desenhos deles foram assim.
    como q ele conseguiu escrever um volume inteiro do mangá ?
    tipo copiar as mãos, Pés é uma coisa,
    mas tem alguns casos q ele copiou a imagem inteira.
    Tipo. eu nao sou desenhista, mas quando vo desenhar uma mão ou pé, kkk sai um LIXO, até poderia usar de tal artimanha para melhorar, mas copiar um desenho inteiro. e utilizar em um livro q voce vai vender.
    é. pega mal, para o único BRASILEIRO, q é realmente famoso nesse meio( me corrijam se estiver errado).

    Curtir

    1. Sim, o único famosíssimo. Existem outros no Japão: http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/12/151220_manga_brasileiro_et_lk

      Pior que pega mal para os brasileiros, nos fóruns rola muitos comentários que o autor faz isso porque é brasileiro e não tem vergonha e respeito. E faz sentido, no Japão uma pessoa pega em algo assim, imediatamente se desculpa, diz estar envergonhado e se sente humilhado por ter sido pego, é contra a cultura japonesa de respeito, honra, dignidade. Mas um brasileiro, nós faremos de tudo para facilitar e ao sermos pegos preferimos fingir que não sabemos do que está sendo falado, que “não sabia” ou ficar puto que foi descoberto. É o famoso “jeitinho brasileiro”. Não nos sentimos humilhados por colar numa prova, mas putos com quem nos viu colando ou nos delatou, como se fôssemos vítimas, ou simplesmente o velho “valeu a tentativa”. Enquanto isso o japonês se sentiria humilhado, iria querer parar de ir na escola e iria morrer por dentro quando os pais descobrissem.
      É claro que mesmo nas duas culturas temos variações e vai ter um cara-de-pau japonês e um honest abe brasileiro, mas socialmente o Brasil adora seus jeitinhos, gambiarras, etc; o japonês já prega honra e dignidade que nos soam absolutamente exagerado, saído de um livro medieval.

      Curtido por 1 pessoa

      1. Se a matéria em si já foi excelente, esse reply foi ainda melhor. É fácil a gente esquecer que aquilo que é natural pra nós é na verdade fruto de uma prática sócio-cultural, uma construção basicamente, e cada povo e época tem suas práticas e valores próprios. Só diante desses constrastes é que percebemos com clareza como somos. Parabéns, Roses!

        Curtir

  4. Greg Land e Rob Liefield ficariam orgulhosos. E parabéns pro cara que se dedicou a caçar esses “plágios”.

    Detalhe interessante, naquela série Naoki Urasawa no Manben, o artista Inio Asano fica preocupado depois de mostrar o processo criativo dele de transformar fotos em desenhos. Ele teme que as pessoas achem que ele é um preguiçoso que apenas traça os desenhos, embora ele seja reconhecido justamente pelos desenhos detalhados.

    Curtir

  5. Não sabia de nada disso!!! Gente, que bad… Tinha que ser justo o brasileiro, né? Aí chove de comentários de depreciação da própria-cultura e da visão vira-lata que o brasileiro tem de si mesmo… :/ De toda forma, o autor poderia parar de fazer isso ou a editora arranjar um desenhista para ilustrar as novels, sei lá, mas realmente deve ser difícil, uma vez que realmente as implicações jurídicas pra esse tipo de cópia são bem limitadas mesmo… O duro é que a lógica por trás da história é realmente boa… Ai que raiva!!

    Curtir

    1. Não sei se foi o meu caso, mas não foi minha intenção depreciar a própria cultura. O jeitinho brasileiro tem seu lado nojento e desonesto, mas tem seu lado lindo e engenhoso. Mas no caso deste autor, vemos o jeitinho ruim, de tirar proveito e usar do dos outros sem respeito. :/

      Curtido por 1 pessoa

    1. Ele foi para o Japão com uns 8 anos? Algo assim. Mas os pais dele são nascidos no Brasil e criados no Brasil.

      Eu diria que há dois pilares de influência na infância, a cultura familiar e a cultura externa. Mesmo que ele nascesse no Japão, só de ser criado por pais que por sua vez foram criados dentro das escolas, sociedade e cultura brasileira, isso faz dele um meio-brasileiro. Então não é “só nasceu”, a cultura dos seus pais brasileiros é importantíssima para desenvolver sua ética e conduta moral.

      Curtir

  6. Li, compreendi e que saber? Tô nem ai. Há possibilidade (muita possibilidade mesmo) dele ter “copiado” a arte de outrem, mas isso não diminui em nada NGNL. As ilustrações não são a base desta obra, e sim a narrativa (é um livro afinal). A forma como ele escreve me faz pensar que estou no meio daqueles acontecimentos.
    Em suma, não ligo pra esses detalhes, e se aqueles que possivelmente (muita possibilidade mesmo2) não reclamaram, então esta tudo OK.

    Curtir

  7. Eu tinha visto algo a respeito sobre isso antes mas não consegui compreender o quão grave a situação era. Eu tinha sentido vergonha quando me deparei com a notícia. Vergonha por ele. Vergonha pela a falta de vergonha desse sujeito. Mas agora lendo essa matéria consegui entender e, meu deus, eu estou horrorizada. Ele está sendo caçado e dedos estão sendo apontados na direção dele e ele não está nem ai.
    A pergunta de um milhão de reais é: ele é antiético por que ele é brasileiro ou por que ele é assim como pessoa?

    Curtir

    1. ele é assim como pessoa,
      sou brasileiro, e nao faço artimanhas para melhorar no meu trabalho. nem tento burla nada para ganhar mais dinheiro e tals. vai da pessoa. é fogo q a gente é “queimado” fora do pais.

      Curtido por 1 pessoa

  8. Uau. Agora fiquei chocada. Quem diria que existisse e que o autor fazia isso?
    Quando você estava falando no caso de usar foto de alguém como referência, lembrei na hora do ilustrador americano Alex Ross, que usa foto de seus familiares para fazer o realismo de suas artes (o autor, mesmo sendo americano, fez algumas artes de Force G, lindas)…
    É uma pena que o autor se utilize desse meio, usando o tão velho e nada legal jeitinho brasileiro. #chateada

    Curtido por 1 pessoa

    1. Não necessariamente, sendo a lei, plágio é quando você assina ou apresenta algo produzido por outro como seu. Não é esse o caso. Seria mais uma questão de uso de materiais com direitos autorais sem permissão para produzir seu próprio. É um quebra de direitos autorais e não de plágio. 🙂

      Curtir

Deixe sua opinião. Seu comentário é muito importante para nós^^.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s