Review

Resenha: Arakawa Under The Bridge – volume 1

arakawaMelhor do ano? Melhor do ano…

Em uma época em que eu não sabia que existia “temporadas de animês” no Japão e não entendia porque tal ou qual desenho ainda não estava completo nos sites de pirataria, eu comecei a assistir a esquisita série chamada Arakawa Under The Bridge. Não lembro o porquê de eu ter começado a assistir esse desenho animado e nem como o descobri, mas quando dei por mim lá estava eu vendo e “dropando” após algumas unidades de capítulos.

A história não me prendeu e o clima nonsense da coisa não era de meu agrado. Na época, o máximo de nonsense que eu suportava era Chapolin Colorado e, como vocês devem saber, o nonsense da série mexicana não é muito grande. Mas o tempo passou, o desenho animado tornou-se meio conhecido entre o público otaku e resolvi dar uma nova chance a ele. E aí, amigo, a minha cabeça já era outra completamente diferente e a história me prendeu e me divertiu demais. Com um humor muito bom e certos questionamento interessantes, Arakawa mostrou-se uma obra excelente e que me foi impossível não amar.

Há certas obras que são assim, eles necessitam de um momento certo para serem apreciadas. Você vê um desenho animado em uma época e não o suporta, acha defeitos que não existem (baseados em seu gosto pessoal e não em critérios técnicos) e desiste. Depois, quando você amadurece mais um pouco e revê aquela série começa a ver muitos pontos interessantes e todos aqueles “defeitos” que você viu, na verdade eram qualidades do título  que na época você não conseguia apreciar. Esse é Arakawa Under the Bridge.

Quando, em meados de 2015, a editora Panini o anunciou o mangá foi uma surpresa muito grande. Jamais imaginava que sairia por aqui e menos ainda pela Panini que não costuma apostar muito em obras desse gênero.

Lançado recentemente, Arakawa Under The Bridge mostra-se em seu primeiro volume como o melhor mangá lançado em nosso país e dificilmente haverá uma obra que o superará. Por que eu penso assim? Vamos conhecer agora um pouco mais de Arakawa Under The Bridge!!!!

arakawa complete

Sinopse Oficial

“Me mostra o que é o amor?”. Ric é um jovem bem-sucedido, e Nino, uma bela garota sem-teto. Às margens do rio Arakawa, tem início uma estranha relação. Esta é uma obra neossensorialista recheada de metáforas irônicas e humor ácido. Afinal, é uma comédia…? Ou não?

História e desenvolvimento

Arakawa Under The Bridge pode ser definido de várias formas. A narrativa da garota que quer aprender sobre o amor; a história do ricaço que acaba indo morar debaixo da ponte; a história de uns malucos que moram na margem de um rio, etc. Tudo isso está certo e errado ao mesmo tempo. Ou então, se complementam.

A força motriz da história é um rapaz chamado Kou Ichinomiya (posteriormente chamado de Ric), um jovem milionário que certo dia acaba sendo envolvido em uma situação inusitada: ele tem suas calças roubadas por um grupo de crianças que a jogam na ponte do rio Arakawa. Tendo que ir recuperá-la, Kou acaba caindo no rio e, perto de se afogar, acaba salvo por uma garota que descobriremos chamar-se 2-3 (lê-se Nino-san).

O problema é que Kou foi criado de uma forma rigorosa e aprendeu a nunca dever nada a ninguém. E como ele poderia pagar algo tão valioso quanto sua vida? Afinal se não fosse pela garota, ele já não estaria neste mundo. Mas isso seria fácil de ser resolvido por ele. Rico como é, poderia dar todo o dinheiro que a jovem quisesse, comprar uma casa, etc, e assim sua dívida seria paga. Seria muito fácil, seria. Mas o dinheiro não tem utilidade para Nino, ou pelo menos, ela não tem esse tipo de interesse. Se é para pedir algo, Nino pede para que Kou mostre a ela o que é o amor e, para isso, ele seria obrigado a viver debaixo da ponte do rio Arakawa com ela, pois se não fizesse isso ela acabaria se esquecendo dele (?!).

É aqui que começa verdadeiramente a história, com muito humor e questionamentos do modo de viver e de pensar de Kou. Conseguimos rir bastante a cada capítulo, bem como vamos aos poucos refletindo sobre as máscaras, atitudes e os preconceitos que todos nós temos no dia-a-dia.

Debaixo da ponte, há um séquito de personagens interessantíssimo, todos eles vindo para abalar o personagem principal e mostrar para ele que a vida não é necessariamente do modo como ele pensa que é. A cada instante Kou (agora Ric) verá sua pretensa superioridade ser colocada por água abaixo por esses personagens que você facilmente poderia taxar de um grupo de loucos.

Nino acredita ser uma venusiana, o “prefeito” é um Kappa (ou veste uma fantasia de, ou acredita ser um), há luas, estrelas, etc. Um monte de gente que se aceita do que jeito que é e não estranham ou acreditam que os outros são o que eles pensam ser. Ric é o único “normal” naquele lugar, o único a olhar aquele local e aquelas pessoas de um modo diferente, achando tudo muito estranho e sem sentido.

Mas é justamente esse estranhamento e as situações loucas que colocam o humor e as reflexões interessantíssimas da série. Rimos muito em cada situação mais insana do que a outra e aos poucos vamos sendo questionados pelo que faríamos em determinada situação.

O fato de Ric se achar superior, por exemplo, é bem característico de qualquer ser humano. Tentamos nos mostrar como pessoas iguais e que compreendemos umas às outras, mas a verdade é que acabamos movidos por convenções sociais e preconceitos bobos e sem sentido. O diferente, por mais que digamos aceitar, sempre nos causará estranheza e em Arakawa o estranhamento é levado ao limite, com cada um dos personagens apresentados a Kou. Nenhuma situação “normal” é de fato normal. Quando parece ser, logo em seguida aparece uma cena mostrando a insanidade da coisa toda, fazendo você rir. Mas é uma insanidade sempre disposta a nos mostrar algo, a nos fazer ver uma coisa diferente.

Mesmo Kou (Ric) é um personagem levado ao extremo e sua própria construção nesse primeiro volume é questionadora, ou serve para questionar e ser questionado. Seu desejo de querer pagar sua dívida é algo por si só insano, afinal ninguém em sã consciência sairia de casa para morar debaixo da ponte apenas por um “dever”.

E aqui é que está a coisa legal. Logo no início do mangá Nino questiona se os humanos apenas fazem as coisas em troca de outra. Essa ideia está tão enraizada no inconsciente das pessoas que é difícil não achar estranho ou admirar quem faz uma coisa por outra pessoa sem querer nada em troca. E eis que Nino inverte a situação e mostra que o estranho, na verdade, é querer algo em contra.

E a característica de Kou (Ric) não é boa também para ele próprio. As atitudes ternas de Nino mostram o quão dura era a filosofia de nunca dever nada a ninguém. Risos, emoções, dramas, tudo isso tem em Arakawa Under The Bridge. Por esse primeiro volume, arriscaríamos dizer que toda a narrativa é movida pela comédia e pelo nonsense e será dirigida para a  redenção de Ric. Mas será isso mesmo? Será que não haverá uma mudança de paradigma a partir dos próximos números? Só lendo para saber^^.

Por que Arakawa Under The Bridge é o melhor lançamento do ano até agora?

Muitos dizem que vivemos o melhor momento dos mangás no Brasil, com vários títulos muito bons saindo por aqui. Trata-se de uma afirmação questionável, mas que podemos concordar em partes. De fato, há uma série de títulos muito interessantes saindo, mas poucos são bons de verdade.

Ano Hana, por exemplo, possui uma história muito interessante, mas não passa disso. One-Punch Man e UQ Holder! são divertidos, mas também não passam disso. Lovely Complex é excepcional, mas é só uma história de amor adolescente. Knights of Sidonia é muito bom, um dos melhores lançamentos do ano, mas ainda precisa demonstrar um pouco mais de potencial para ser uma obra perfeita ou quase-perfeita.

Arakawa Under The Bridge, por outro lado, possui um início avassalador, unindo ao mesmo tempo a comédia popular com os questionamentos sociais. Uma obra que consegue fazer essas duas coisas em apenas um volume é muito raro e Arakawa já começou com um nível muito alto. Tendo tudo para melhorar ainda mais nos próximos.

Enquanto a maioria dos outros mangás lançados no Brasil apresentam apenas o entretenimento, Arakawa une o entretenimento com o conhecimento (não o conhecimento escolar, mas o conhecimento de fazer você enxergar melhor a realidade) e isso é o que faz dele o melhor lançamento do ano até agora.

A comédia de Arakawa Under The Bridge

Arakawa Under The Bridge é formado por capítulos curtos e, por isso, a comédia do mangá é bem acentuada. Se você assistiu ao animê e se divertiu muito provavelmente dará muito mais gargalhadas com o mangá. O animê, na verdade, pode dar a impressão de que não é engraçado, mas o mangá consegue fazer fluir a história muito bem e fazer você rir do início ao fim.

Para além dos questionamentos sociais, a comédia se sobressai e você não precisa se preocupar com a “estrutura profunda” do mangá para conseguir apreciar a obra. Você conseguirá rir o tempo todo, mesmo que não perceba as veladas críticas ao comportamento social dos seres humanos.

A Edição Nacional

O material físico da Panini é bem simples, não possuindo diferencial em relação aos outros mangás da editora. Ele é publicado em formato 13,7 x 20 cm, capa cartonada e miolo em papel jornal. Possui 4 páginas coloridas ao todo, sendo estas em couché. Isso tudo ao preço de R$ 12,90. Ao que parece o papel jornal utilizado é um pouco diferente e que demora mais tempo para amarelar, mas no fim é apenas papel jornal mesmo e está longe em qualidade de outros títulos da editora. Porém isso não é um demérito. Em uma época de crise econômica o preço baixo do título é uma mão na roda para muitos colecionadores.

Diferentemente de outros títulos da editora, o texto está bem fluído e faz a comédia funcionar. As piadas foram bem adaptadas e não se precisou de nenhuma nota de rodapé para explicá-las e isso é algo bem importante. Um mangá de comédia não pode ter notas de rodapé ou mesmo glossário para explicar as piadas, senão perderia a essência da coisa, então dessa vez foi um acerto por parte da Panini. Para algumas pessoas um ou outro trocadilho pode parecer forçado, mas todos ficaram muito bons no meu entender.

***

Arakawa Under The Bridge possui 15 volumes no total e está sendo lançado em periodicidade bimestral. Como vocês viram desde o início deste texto, ele é um título que super-recomendo e que merece ser lido por todos.

Onde Comprar: Liga HQ

BBM

Anúncios

10 comentários em “Resenha: Arakawa Under The Bridge – volume 1”

  1. Não sei porque, mas desde o anúncio do título, acabei ficando com uma pulga atrás da orelha. Afinal, o que esse mangá tem que me chamou a atenção? Talvez tenha sido pelo título já que eu sequer li a sinopse na época (é curioso pensar nele, tipo, qual a sua lógica?). Talvez tenha sido meu estado de espírito, cansando do mesmo que sentiu no ar que Arakawa tinha e talvez tenha algo de diferente. Já adquiri o meu. Vou ler e quem sabe não faço meu parecer sobre o obra?

    Curtir

  2. Eu tinha visto o anime antes do Mangá, e sempre gostei de um bom Non Sense. Estou ansiosa para ver a Stella,a Maria provocando a Sister, e a P-ko também. Agora, uma coisa que o mangá não vai poder mostrar como no anime é a voz da amazona. (Nem sei se o mangá vai cobrir a segunda temporada do anime, mas espero que sim.)
    Eu gostei muito do mangá mesmo em folha de jornal, e adorei a capa. (Sai caçando Arawaka por toda a parte da minha cidade, e só tinha um voluminho encostadinho lá, claramente agora é meu.)
    É um ótimo mangá para se colecionar, quem gosta de humor assim vale a pena comprar Azumangá Daioh.

    Curtir

Deixe sua opinião. Seu comentário é muito importante para nós^^.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s