Retrospectiva

Retrospectiva 2015 – Editora Nova Sampa

retrospectiva nova sampaUm ano ruim para a editora

Hoje iniciamos a nossa retrospectiva das editoras! Iremos relembrar como foi o ano de 2015 para as editoras do mercado brasileiro de mangás. Seus fatos marcantes, seus avanços e retrocessos.

Começaremos realizando a retrospectiva da editora Nova Sampa. Com altos e baixos – mais baixos do que altos – a editora ainda prossegue no mercado, mas precisa se reerguer logo para voltar a competir de frente com as outras editoras e não ficar em hiatos constantes. Vamos relembrar o ano ruim da editora Nova Sampa.

***


vagabond 15I – Vagabond

A Nova Sampa começou o ano prometendo muita coisa. Em 2014, a editora havia feito vários anúncios, reiniciado a publicação de Vagabond e dando esperanças de um futuro relançamento de Slam Dunk, mas no fim nada deu muito certo para a empresa este ano.

Para começar, o fracasso das vendas de Vagabond fez a editora paralisar a publicação ainda em 2014 e, durante este ano, a empresa tentou renegociar uma nova forma de publicação para o título, mas não deu certo. A Nova Sampa teve o contrato rescindido e Vagabond e as demais obras de Takehiko Inoue acabaram nas mãos da editora Panini.


II – Marcelo del Greco e títulos publicados

O cancelamento de Vagabond com certeza não foi o pior golpe que a Nova Sampa sofreu em 2015. Quando a editora foi notificada do fim do contrato ela já vinha sofrendo de problemas causados pelo afastamento de Marcelo del Greco que retornara para a JBC, logo no início do ano…

Desde que a Nova Sampa voltou ao mercado de mangás em 2012, Marcelo del Greco esteve à frente de tudo na empresa e muitos consideravam que esse braço editorial da editora só existia por causa dele. Parece que isso estava certo – ou parcialmente certo – pois a Nova Sampa acabou não publicando quase nada durante o ano.

Em 2015, a empresa publicou apenas 16 volumes – número menor até mesmo que a editora Abril, por exemplo – todos eles de obras que já estavam em publicação: Ikkitousen (4 vol), Variante (3 vol), Dawn (3 vol) e Gurren Lagann (6 vol).


III – Atrasos nos lançamentos

Como resultado desses poucos volumes lançados, a empresa foi bastante inconstante, com sucessivos atrasos na publicação de seus títulos e promessas de lançamentos não cumpridas. Recentemente passou 4 meses sem publicar um único volume e todas as previsões que a editora dera em seus informativos e na fanpage no facebook acabaram não sendo realizadas e os lançamentos foram sendo adiados continuamente.

O problema todo não foi a periodicidade espaçada, o problema foi a falta de periodicidade e a falta de compromisso com os prazos dados por eles mesmos, o que atrapalha os leitores e gera incerteza a respeito da editora. Quem não temeu pelo cancelamento das demais obras?


IV – Ausência de novos títulos

Outro ponto a se destacar é a ausência de novos títulos. Apesar de ter obras licenciadas e já divulgadas, a editora não lançou nenhum mangá novo durante o ano todo. Em alguns casos por causa de empecilhos com o Japão (Hakuoki e Muvluv tiveram problemas por estar ligadas a empresas de jogos; e Drifters a editora não recebeu o material para realizar o quarto volume), em outros pela reorganização que a editora teve que passar por causa da saída de Marcelo del Greco.


V – Perspectivas para o futuro?

É evidente que a saída de MdG foi um golpe duro para a empresa, mas parece que ela ainda não pretende sair desse ramo. A empresa fez promoções durante o ano e ainda consultou seus consumidores sobre a possibilidade de lançar mangás em formato Big no futuro.

A editora parece ter perspectivas de crescer e continuar atuando nesse ramo, então só podemos torcer para que a empresa consiga se organizar no menor tempo possível e volte à ativa com lançamentos constantes já em 2016… Douglas Sousa – novo responsável pela Nova Sampa – disse durante a palestra das editoras no Ressacada Friends que a ideia é realmente que em 2016 a editora não repita esse esquecível 2015.


VI –  Títulos paralisados

Ikkitousen e Hitman (ambos com “novas temporadas” já confirmadas)


VII – Títulos em hiato

Drifters


VIII – Títulos cancelados

Vagabond (agora com a Panini)


IX – Títulos concluídos em 2015

   Dawn Tsumetai-te, Variante, Gurren Lagann.

Abaixo você confere as capas dos mangás publicados pela editora durante o ano

Variante 02 variante 03 Variante 04
dawn 04 Dawn 05 Dawn 06
gurren 05 gurren 06 gurren 07
gurren lagan 08 Gurren lagann 09 gurren_10
ikkitousen segunda temporada 03 ikkitousen 04 ikkitousen-05
ikkitousen-06

X – Títulos anunciados

Títulos anunciados em 2015 e ainda não publicados

       Hokori-Pride,  Carnaval Glare,  Godeath e Malicious Code.

Títulos anunciados em 2014 e ainda não publicados

       Koroshiya-sanHakuokiMuvluv Unlimited 


    ***

Essa foi a nossa retrospectiva da editora Nova Sampa. Em breve estará no ar a retrospectiva da Editora Newpop^^.

BIBLIOTECA BRASILEIRA DE MANGÁS

Anúncios

1 thought on “Retrospectiva 2015 – Editora Nova Sampa”

  1. Pouts, não sabia que eles estavam com contrato para trazer Muvluv, é uma pena que ainda não foi publicado.
    Acho que Vagabond passou por tantos desafios aqui no Brasil, espero que não tenha um preço tão exorbitante para o povo comprar.

    Curtir

Deixe sua opinião. Seu comentário é muito importante para nós^^.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s