O grande guia dos mangás cancelados no Brasil

 

canceladosTudo o que um dia foi lançado no Brasil, mas acabou não sendo concluído…

Ser colecionador de mangás, às vezes, significa frustração por diversos motivos possíveis, mas sem dúvida um dos maiores motivos é o cancelamento de séries. A presente postagem mostra a vocês os mangás que já foram cancelados no Brasil…

O nosso guia dos mangás cancelados está dividido por editoras. Primeiro falaremos da JBC, depois da Panini e Conrad. Por último falaremos de outros mangás cancelados que muita gente nem se lembra…

Importante frisar que só colocaremos aqui mangás realmente cancelados. Títulos em hiato há muito tempo ou paralisados não serão listados. Embora um mangá paralisado tenha grande chances de ser cancelado no futuro, não significa que ele será de fato, basta ver os casos de Lodoss War: a dama de Pharis e Homunculus, ambos pela Panini. Faremos, posteriormente, o grande guia dos mangás em hiato e paralisados, mas por hora fiquemos com os realmente cancelados…

A editora JBC possui em seu currículo apenas uma obra cancelada. A Panini possui 9 e a Conrad 15 (ou 17 se contarmos dois cancelamentos de Evangelion e Vagabond). Vamos detalhar quais são esses títulos.

jbc de novo

 

Futari H

Mês de lançamento: Março de 2009.
Mês do último volume lançado: Fevereiro de 2013.

capa_futari_h_01_g

Futari H era o mais popular mangá erótico do Japão na época em que foi licenciado. Ao que se sabe foi oferecido para a JBC e Panini e a editora paulista levou a melhor. Infelizmente, o título parece não ter conquistado muito o público e, após 42 edições, o mangá foi cancelado.
Provavelmente ajudou para o cancelamento o fato de o título ter sido publicado em meio-tanko, em uma época em que poucos títulos saíam nesse formato.  O fim prematuro de Futari H em terras brasileiras serve para mostrar que não basta um conteúdo erótico para vender bem…
No Japão, o mangá começou a ser serializado em 1997 e ainda está em publicação, atualmente com mais de 60 volumes. Dificilmente voltará ao Brasil, justamente por ter tantos volumes e não ser muito popular por estas bandas…

panini de novo


Eden – um mundo infinito

Mês de lançamento: Agosto de 2003.
Mês do último volume lançado: Fevereiro de 2008.

eden 01 paniniO mangá foi lançado em 2003 em formato meio-tanko (padrão da época), mas com leitura ocidental. A obra foi paralisada em 2005 e, aparentemente, cancelada. Voltou, entretanto, de surpresa em 2007 e foram publicados mais três volumes até ser cancelado novamente.
Aparentemente houve atritos com a Kodansha (editora japonesa) e isso teria levado a Panini a perder Fairy Tail para a JBC mesmo a Panini tendo oferecido mais dinheiro pelo mangá, segundo a fala de Marcelo del Greco em um evento.
Os fãs de Eden puderam comemorar muitos anos depois a volta do mangá para o Brasil. A editora JBC licenciou a obra e relançou o mangá em uma edição para livrarias em formato BIG, juntando dois volumes em apenas um.

Peach Girl

Mês de lançamento: Outubro de 2003.
Mês do último volume lançado: Fevereiro de 2008.
peach girl 01O caso de Peach Girl é muito similar ao de Eden: foi lançado em 2003, foi paralisado em 2005 e surpreendentemente voltou em 2007. Porém há um agravante, a editora prometeu a seus leitores que lançaria o título até o fim.  Infelizmente, a editora não cumpriu a promessa e o mangá foi cancelado no volume 27 ( 14 da versão original). A alegação foi baixas vendas…
Os fãs de Peach Girl não tiveram a mesma alegria que os fãs de Eden. Após o cancelamento, o mangá acabou esquecido e não houve, até hoje, sinal de que qualquer editora pretenda relançar o título.
Apesar de ter o mesmo número de volume de Eden (18), é improvável que uma editora vá atrás e queira trazer o título de volta. Se já é difícil lançarem mangás shoujos no Brasil, imagina um com histórico ruim?

 Shin-chan

Mês de lançamento: Agosto de 2004.
Mês do último volume lançado: Maio de 2005.
shin chan 06Esse é um daqueles títulos que muito gente nem imagina que já chegou a ser publicado no Brasil. Foi lançado em 2004, em leitura ocidental e no formato de gibi.
O motivo do cancelamento não precisa ser dito: originalmente, Shin-chan é um mangá voltado para o público adulto e o formato utilizado pela Panini não conquistou os leitores da época. Foi o primeiro mangá cancelado pela Panini.
No Japão, Shin-chan teve cerca de 50 volumes e só foi encerrado porque o autor faleceu. Hoje é completamente difícil imaginar que alguma editora o traga novamente, a não ser que apostem novamente em um formato diferenciado.

Trigun

Mês de lançamento: Dezembro de 2006.
Mês do último volume lançado: Fevereiro de 2007.

trigun 01

Um cancelamento diferente, devido a trapalhadas burocráticas. Trigun foi lançado em nosso país originalmente em 2006 e estava programado para ter quatro volumes no total. Todavia, a Panini enfrentou alguns problemas de licenciamento e teve que cancelar essa publicação no meio para lançar uma nova.
Pouco depois, a editora lançou uma reedição de Trigun, dessa vez com a licença correta e reduzido para 2 volumes com mais de 300 páginas. Devido ao descontentamento dos consumidores com o  cancelamento, a Panini chegou a fazer um recall convocando as pessoas que compraram as primeiras edições canceladas, mas o período foi tão curto que quase ninguém ficou sabendo.
De todo modo, os fãs de Trigun puderam ter o mangá na coleção, além da continuação Trigun Maximum também publicado posteriormente pela Panini.

seton 015. Seton

Mês de lançamento: Março de 2008.

Baixas vendas foi o motivo do cancelamento. Lançado em um formato mais luxuoso e mais caro, a obra encalhou nas bancas. A capa do segundo volume chegou a ser divulgada, mas o volume nunca foi lançado. O cancelamento oficial só foi confirmado em 2010.

No Japão a obra possui apenas quatro volumes.

Os outros volumes podem aparecer no Brasil? Dificilmente virão os outros três volumes. Não é um mangá conhecido o suficiente e nem com apelo para um retorno. Porém, o número baixo de volumes e o amadurecimento do mercado pode fazer o título retornar algum dia.


full metal panic sigma 016. Full metal panic sigma

Mês de lançamento: Maio de 2008.
Mês do último volume lançado: Fevereiro de 2010.

Full metal panic sigma não teve boa aceitação pelo público, as vendas estavam abaixo da viabilidade  e o título acabou cancelado, após apenas nove volumes publicados.

No Japão, o mangá foi concluído em 19 volumes.

Possibilidade de voltar ao Brasil: improvável. O fato de ter dezenove volumes e ser uma continuação de outro mangá pesa muito para não acreditarmos na volta deste título ao Brasil.


***


otomen 017. Otomen

Mês de lançamento: Setembro de 2009.
Mês do último volume lançado: Fevereiro de 2011.

Lançado em 2009, o divertido shoujo foi paralisado após apenas 7 volumes. Somente em 2013, a obra foi oficialmente cancelada pela editora italiana.

No Japão o mangá foi concluído em 18 volumes.

Possibilidade de voltar ao Brasil: pouco provável. Mesmo caso de Peach Girl.


***


guin saga 018. Guin saga

Mês de lançamento: Maio de 2010.
Mês do último volume lançado: Janeiro de 2011.

Vendas baixas foi o principal motivo de seu cancelamento, mas não o único. No Japão, a autora que produzia a obra original (uma light novel de 130 volumes) morreu e o final da adaptação em mangá teve que ser “inventado” pela editora japonesa. Em vista disso, a Panini resolveu não trazer o sexto e último volume que teria tido uma péssima aceitação no Japão.

Possibilidade de conclusão: muito improvável.


***


kil dong 019. Kil dong – crônicas de um guerreiro

Mês de lançamento: Julho de 2007
Mês do último volume lançado: Outubro de 2008.

Um dos poucos mangás coreanos lançados pela Panini no Brasil também não teve muito sucesso. Novamente as baixas vendas foram o empecilho para a conclusão da obra. E detalhe, assim como Guin Saga, faltava apenas um volume para sua conclusão. Só restou aos fãs lamentarem…

Possibilidade de voltar ao Brasil: improvável.

***

Conrad de novo

Evangelion 011. Neon Genesis Evangelion

Mês de lançamento: Novembro de 2001
Mês do último volume lançado: Abril de 2007

A Conrad começou a lançar Evangelion em meio-tanko em 2001 e veio realizando o seu lançamento até 2004, quando o mangá entrou em hiato encostando com a publicação japonesa. Em 2005, a editora se arriscou com o lançamento de uma edição de luxo do mangá, mas as baixas vendas fizeram a editora parar no primeiro volume mesmo.

Já em 2007, a Conrad publicou outros dois volumes, chegando a 20 (10 originais). Esses foram os últimos volumes publicados pela editora. No Japão: a série se encerrou em 2014, com 14 volumes ao todo.

E no Brasil? os fãs de Evangelion não ficaram na mão. A editora JBC assumiu a publicação da Conrad e continuou o lançamento dos meio-tankos até o volume 28. Além disso, a editora publicou o mangá novamente dessa vez em tanko.


***


Vagabond 012. Vagabond

Mês de lançamento: Novembro de 2001
Mês do último volume lançado: Setembro de 2006

A história de Vagabond não é tão boa para os fãs quanto foi para Evangelion. Também lançado em formato meio-tanko, no ano de 2001, a série prosseguia normalmente até 2005, quando também encostou com a publicação japonesa.

Durante esse período de hiato, a Conrad lançou uma versão de luxo de Vagabond e essa deu mais certo que a malfadada versão de Evangelion. Houve mais quatro volumes publicados meio-tanko, porém a editora acabou cancelando essa edição para priorizar a versão de luxo. E a versão de luxo? Pois é, ela também foi cancelada, após o volume 14. Como detalhe curioso, a versão em meio-tanko de Vagabond é até hoje o mangá cancelado com o maior número de volumes (44 contra 42 de Futari H).

No Japão, o mangá é publicado desde 1998 e atualmente possui 37 volumes.

E no Brasil? a editora Nova Sampa adquiriu a obra e resolveu continuar a publicação da edição de luxo da Conrad. Foram lançados outros 4 volumes. Infelizmente, a obra não vendeu muito bem e ficou paralisada. Após um tempo de renegociação, Vagabond foi novamente cancelado. Segundo a editora, no entanto, o título já tem uma nova casa no Brasil. Resta aos fãs esperarem….


***


One piece 013. One Piece

Mês de lançamento: Fevereiro de 2002
Mês do último volume lançado: Outubro de 2008

O grande sucesso da Shonen Jump foi publicado em território nacional pela primeira vez em 2002, pela Conrad. Em formato meio-tanko, a obra manteve uma publicação bastante regular até 2007, quando a editora passou por alguns problemas. Em 2008, foram lançados outros quatro volumes, chegando ao 70 (35 originais). O cancelamento oficial só aconteceu em 2011.

No Japão, a série continua em andamento com 77 volumes atualmente.

E no Brasil? Apesar de anos de espera, os fãs da obra de Eiichiro Oda não ficaram tristes. A editora Panini está publicando o mangá desde 2012, desta vez em formato tankobon.


***


dr slump4. Dr. Slump

Mês de lançamento: Junho de 2002
Mês do último volume lançado: Julho de 2003

O mangá do mesmo criador de Dragon Ball não teve vida longa no Brasil. As baixas fizeram a editora cancelar o mangá após o volume 14 (7 original).

No Japão, o mangá foi concluído em 18 volumes.

Possibilidade de voltar ao Brasil: acredito que é muito provável. O mercado amadureceu bastante e não há motivos para não dar uma nova chance para esta obra do mestre Akira Toriyama.


***


Gon 015. Gon

Mês de lançamento: Setembro de 2003
Mês do último volume lançado: Março de 2004

O mangá seinen do dinossauro foi vendido em formato de luxo e não emplacou. Apenas 3 volumes foram lançados.

No Japão o mangá foi concluído em 7 volumes e ganhou recente um animê.

Possibilidade de voltar ao Brasil: muito improvável.


***


blade 016. Blade, a lâmina do imortal

Mês de lançamento: Fevereiro de 2004
Mês do último volume lançado: Fevereiro de 2007

Blade foi lançado em meio-tanko no ano de 2004. A obra teve uma publicação regular até 2005 quando encostou com a publicação japonesa. Dois volumes foram lançados em 2006 e dois em 2007. Com a crise financeira vivida pela Conrad, o mangá não retornou mais. Blade foi oficialmente cancelado em 2011.

No Japão, a obra foi concluída em 2012 com 30 volumes (60 brasileiros, se ela fosse terminada).

Possibilidade de voltar ao Brasil: difícil, mas não impossível. UPDATE: a editora JBC retornará com o mangá em formato BIG.


***


dragon-ball-definitiva-017. Dragon ball – Edição definitiva

Mês de lançamento: Junho de 2005
Mês do último volume lançado: Março de 2009

Nem mesmo a grande obra de Akira Toriyama e um dos carros-chefe da editora em seu início se salvou de um cancelamento. Em 2005, a Conrad lançava uma versão definitiva da obra Dragon Ball que reduzia de 42 para 34 os volumes da obra, além de possuir um grande número de páginas coloridas.

A obra seguiu normalmente até o fim de 2006, mas os problemas da Conrad prenunciavam seu fim. Entre 2007 e 2009 apenas outras 4 edições foram lançadas. Em 2011 foi anunciado o cancelamento oficial da obra.

Há possibilidade de uma nova edição definitiva no Brasil? Como todos sabem, o título Dragon Ball foi adquirido pela Panini e a editora está publicando uma edição normal, em tanko. Existe sim uma possibilidade de uma edição definitiva, mas os fãs não devem esperar que isso aconteça logo.


***


megaman 018. Megaman NT warrior

Mês de lançamento: Agosto de 2005
Mês do último volume lançado: Janeiro de 2006

Nem sempre um anime que tenha transmissão no Brasil se reverte em vendas para seu respectivo mangá. Se Cavaleiros do Zodíaco e Dragon Ball deram lucro para a Conrad na primeira metade dos anos 2000, Megaman NT Warrior não obteve o mesmo sucesso e foi cancelado após míseras seis edições.

No Japão a obra foi serializada de 2001 a 2006 na revista CoroCoro Comic (mesma de Super Onze e Pokemon), da editora Shogakukan, e rendeu 13 volumes (seriam 26 se a obra fosse concluída por aqui).

Possibilidade de voltar ao Brasil: bem difícil. Não acreditamos que exista um público para consumir esse produto. Querendo ou não, esse título está atrelado demais ao anime e se na época não despertou interesse, imagina agora…


***


bambi 019. Bambi

Mês de lançamentoJunho de 2006
Mês do último volume lançado: Março de 2009

A obra de Atsushi Kaneko foi lançada em uma época ruim. Só isso justifica o cancelamento do mangá. Em um período de quatro anos foram lançados apenas quatro edições, devido aos problemas internos da editora. Mais uma obra lançada em boa qualidade e que não foi concluída. Uma pena.

No Japão, a obra foi serializada  de 2000 a 2001 e rendeu apenas 6 volumes.

Possibilidade de voltar ao Brasil: sempre há, por ter poucos volumes, mas não sei se alguma editora estaria interessada nesse título…


***


monster-0110. Monster

Mês de lançamento: Junho de 2006
Mês do último volume lançado: Abril de 2008

A obra de Naoki Urasawa foi publicada quase sem percalços, porém a obra foi paralisada em 2008, após a publicação do décimo volume, e cancelada oficialmente anos depois.

No Japão, a obra foi concluída em 18 volumes.

E no Brasil? A Panini retomou a obra e a concluiu no mês de abril de 2015.


***


sanctuary 0111. Sanctuary

Mês de lançamento: Junho de 2006
Mês do último volume lançado: Abril de 2008

Outro bom mangá que foi cancelado por vir em uma época errada. A obra teve uma publicação regular até a edição 5, quando foi paralisada. Um volume novo foi lançado no ano seguinte e depois não se ouviu mais falar dela. Foi cancelada oficialmente anos depois.

No Japão, o mangá foi serializado de 1990 a 1995 e concluído em 12 volumes.

Possibilidade de voltar ao Brasil? Embora seja um mangá antigo, existe chance sim devido ao baixo número de volumes. Resta saber se alguma editora tem interesse.


***


nausicaa 0112. Nausicaa do vale do vento

Mês de lançamento: Julho de 2006
Mês do último volume lançado: Março de 2009

A obra de Hayao Miyazaki foi lançada em edição de luxo, porém com periodicidade incerta. Apenas cinco volumes foram publicados em um período de quatro anos. Apesar da promessa do Grupo Ibep (que comprou a Conrad) de continuar esse título, o mangá foi cancelado oficialmente em 2013. No Japão, a obra foi concluída em sete volumes.

Possibilidade de voltar ao Brasil: Miyazaki é um ícone por seus filmes. E acho muito complicado saber o porquê de nenhuma editora ainda ter ido atrás dessa e de outras obras dele. O formato de luxo talvez seja um empecilho, mas não devemos perder a fé de que um dia essa obra retorne.


***


deliveri service 0113. Delivery service of corpse

Mês de lançamento: Março de 2008
Mês do último volume lançado: Agosto de 2008

Uma das últimas apostas da editora (ao lado Ooru) antes de ser comprada pelo grupo Ibep, Delivery service of corpse não vendeu o esperado e foi cancelado após apenas três volumes.

No Japão, a obra é publicada desde 2006 e ainda está em andamento com 20 volumes.

Possibilidade de voltar ao Brasil: muito difícil.


***


ooru 0114. Ooru

Mês de lançamento: Abril de 2008
Mês do último volume lançado: Agosto de 2008.

Assim como Delivery service of corpse, o mangá Ooru foi cancelado após míseros 3 volumes lançados, igualmente por prováveis baixas vendas.

No Japão, a obra foi concluída em 5 volumes.

Possibilidade de voltar ao Brasil: difícil.


***


as aventuras 0115. As aventuras elétricas do Pikachu

Mês de lançamento: ????, de 1999
Mês do último volume lançado: ?????

Antes de a Conrad iniciar verdadeiramente no mercado de mangás com Dragon Ball e Cavaleiros do Zodíaco no final de 2000 e início de 2001, a editora já tinha empreendido na publicação de material japonês. Ela lançou uma versão americanizada e condensada de Gen, pés descalços e com o sucesso de Pokemon e sua revista Pokemon Club, trouxe os quadrinhos chamados de As aventuras elétricas de Pikachu. A obra teve apenas quatro edições, de cerca 50 páginas cada, publicadas por aqui antes de ser descontinuada. A edição tinha leitura ocidental e eram apenas capítulos avulsos e não chegou a cobrir sequer 1/4 do mangá original.

Possibilidade de voltar ao Brasil: a obra foi publicada pela Shogakukan, mesma editora de Pokemon Black&White o que, na prática, significa que se a Panini se interessar poderá ser lançado por aqui. Resta saber se a editora vai se interessar…

Nova Sampa

Vagabond

Vagabond

Mês de lançamento: Fevereiro de 2014
Mês do último volume lançado: Junho de 2014

Relançado pela Nova Sampa a partir do volume 15, a obra teve quatro volumes publicados e foi paralisada no volume 18. Segundo informações da própria editora foram impressos mais de 40 000 exemplares e só 300 foram vendidas nas bancas, gerando um prejuízo gigantesco.

A editora buscou renegociar o contrato para dar continuidade à obra de uma outra forma, porém a editora não só perdeu os direitos da obra, como elas foram repassada a uma outra editora. Título foi oficialmente cancelado em 17 de setembro de 2015.

outros mangas cancelados

Além dos mangás publicados pelas grandes editoras, outros mangás foram cancelados ao longo dos anos por editoras menores. Alguns deles foram cancelados na primeira leva de mangás no Brasil, no fim da década de 1980 e início da década de 1990, enquanto outros o foram na época de constituição e consolidação do nosso mercado, a partir dos anos 2000. Vamos à lista:

1. Lobo solitário

Lançado em 1988 pela Editora Cedibra. Foi cancelado após 9 edições. Posteriormente, a obra foi adquirida pela editora Nova Sampa, mas foi cancelada novamente também após 9 edições. Um tempo depois, a editora voltou a apostar no título e outros cinco volumes foram lançados antes de ser cancelado pela terceira vez em território nacional.

Lembrando que tanto a  editora Cedibra, quanto a Nova Sampa publicaram o mangá com o número de páginas bem menor do que o original, o que estenderia bastante a obra. A editora Panini relançou essa obra, dessa vez indo até o fim, em meados dos anos 2000.

***

2. Angel / Japinhas safadinhas

Mangá erótico de U-jin foi cancelado duas vezes em terras brasileiras. Uma edição não oficial publicada pela editora Ninja e uma edição feita pela Sampa. A editora Ninja utilizou o título original Angel, enquanto a Nova Sampa adaptou o título para Japinhas safadinhas. Pouquíssimos volumes foram lançados por ambas as editoras…

***

3 e 4. Homem Aranha e X-men

Essas séries americanas adaptados para os quadrinhos orientais não tiveram vida longa no Brasil. Ambos os mangás foram publicados pela editora Mythos em 1998 e foram cancelados após duas edições cada um.

***

5. Ranma 1/2

A obra de Rumiko Takahashi foi lançada primeiramente no Brasil pela Animangá em 1998. A edição foi cancelada em 2004 e posteriormente foi relançado pela editora JBC.

***

6 e 7. Medabots e Digimon

lançado em 2002 pela editora Abril, o mangá de Medabots não empolgou (muito provavelmente por causa dos péssimos desenhos) e foi cancelado após 5 volumes. Por sua vez, Digimon foi publicado um ano antes e teve 16 edições com pouquíssimas páginas em cada edição antes de ser descontinuado.

***

8. Gen

A antologia Gen (Não confundir com o clássico Gen, pés descalços), publicada pela editora Abril em 2012, foi cancelada após 8 volumes. Para os que não sabem, essa antologia reúne quadrinhos bem underground, escritos por japoneses, mas pensado para o público adulto do mercado norte-americano…

Em 2014, a Astral Comics (selo da área de quadrinhos da editora Alto Astral) publicou uma obra pertencente à coletânea Gen Mangá. Porém, ao contrário da editora Abril, a Astral Comics não utilizou o título da coletânea, e sim o título do mangá: Anomal, de Nukuharu.

***

9. Jovens guerreiros

A obra de Motoo Koyama foi publicada no Brasil pela editora Escala em 2001, porém acabou cancelada após míseras 4 edições.

***

10. Alita Battle Angel Gunm

Lançado sem licenciamento pela editora Ophera Gráphica, em 2002, Gunm teve apenas uma edição publicada. A obra foi relançada no ano seguinte pela editora JBC, dessa vez de forma oficial.

***

11 e 12. Super Almanaque mangá e Guerreiros Errantes

Lançados pela editora Mythos em 2001. Apenas um volume de cada um dos títulos foi lançado. Super Almanaque mangá era uma coletânea de história de várias artistas. Já Guerreiros Errantes (Sword Gale no original) possuía apenas um volume no original e mesmo assim a obra ficou incompleta em terras brasileiras, visto que apenas 100 páginas da obra foi publicada em seu único volume lançado por aqui…. As obras foram canceladas devido a desentendimentos com o licenciante.

***

13 e 14. Combat e Bombshell

Combat (Pineapple Army, no original), de Naoki Urasawa (Monster) e Kazuya Kudo (Mai – a garota sensitiva) e Bombshell (Secret Plot no original), de NeWMen, tiveram apenas um volume cada lançado no Brasil. Leitores me avisaram que ambos os mangás, entretanto, tiveram histórias fechadas, porém não deixam de ser consideradas como canceladas. As obras foram trazidas pela editora PNC, uma empresa da qual não há qualquer informação disponível.

***

15. Cobra

O mangá de Buichi Terasawa foi lançado no Brasil no ano de 1990. Essa obra guarda o título de ser o primeiro mangá da Shonen Jump a aparecer no país. Infelizmente apenas uma edição com menos de 100 páginas foi lançado. No Japão, a obra foi serializada de 1978 a 1984 e rendeu 18 volumes.

***

16, 17 e 18. Tokyo Toy Box, Unordinare Life e Aflame inferno

Tokyo Toy box é uma mangá seinen, publicado na Weekly Morning, da Kodansha, e concluído em 2 volumes. Por sua vez, Unordinare Life é um mangá completo em 3 volumes e foi publicado ma revista Spica, de editora Gentosha. Quanto a Aflame Inferno é um mangá coreano completo em 6 volumes, que foi licenciado no Brasil pela Haksan Culture. Os três foram publicados pela editora Savana, mas acabaram cancelados após o primeiro volume.

***

Há mais mangás cancelados no Brasil? Existem alguns hentais que foram lançados no Brasil na década de 1990, mas o modo como foram lançados, praticamente em edições avulsas e com poucas páginas, bem como a falta de informações sobre esses títulos, não nos permitem considerá-los como cancelados.

Também não consideramos cancelados A Lenda de Kamui (editora Abril), Crying Freeman (Nova Sampa) e Golgo 13 (editora JBC). Apesar dessas obras não terem sido publicadas em sua totalidade no Brasil, as editoras não tinham o objetivo de fazê-lo. A Lenda de Kamui e Crying Freeman foram lançados como minisséries (3 e 4 volumes respectivamente), enquanto Golgo 13 foi lançado como uma coletânea de 3 volumes. É diferente de outros casos, em que as editoras pretendiam publicar todos os volumes, mas acabaram desistindo no meio do caminho… (Importante lembrar que Crying Freeman posteriormente foi publicado na íntegra pela editora Panini).

Mas fora esses, acho que elencamos a totalidade dos mangás lançados por aqui e que foram cancelados. Se ficou faltando algum título comente aí nos comentários para que possamos adicioná-lo.

MATÉRIA PUBLICADA ORIGINALMENTE EM 20 DE ABRIL DE 2015. ATUALIZADA EM 12 DE OUTUBRO DE 2015.

Biblioteca Brasileira de Mangás

***

Abaixo você encontra algumas das fontes que utilizamos para a presente matéria:

Fontes consultadas:

http://www.guiadosquadrinhos.com/capas/trigun-1-serie/tr011101

http://omelete.uol.com.br/quadrinhos/artigo/hq-ieden-1i/

http://www.papodebudega.com/2008/02/cancelamento-de-peach-girl-e-den.html

http://www.jbox.com.br/2010/04/15/panini-confirma-cancelamento-de-seton/

http://www.genkidama.com.br/gyabbo/2013/10/28/full-metal-panic-sigma-otomen-oficialmente-cancelados-panini/

http://www.jbox.com.br/2010/09/12/panini-confirma-cancelamento-de-kil-dong/

http://www.genkidama.com.br/gyabbo/2013/08/05/boletim-de-informacoes-1-editora-panini/

http://www.dotaku.net/2006/05/desventura-do-mang-sword-gale-no.html

http://animesempai.jimdo.com/mang%C3%A1s/

Anúncios

Sobre Kyon_45

Criador do BBM. É fã de Haruhi Suzumiya e das obras do grupo CLAMP.
Esse post foi publicado em Guias e marcado , , . Guardar link permanente.

67 respostas para O grande guia dos mangás cancelados no Brasil

  1. Isaura Luiza Paramysio disse:

    Alguns dos citados no final parecem não terem sido licensiados (daria uma ótima lista, tendo coisas como Alita, Dark Angel e afins), estou errada?

    Acrescento de Naoki Urasawa, Pineapple Army, que saiu aqui com o nome de Combat.

    Curtir

  2. Quiof Thrul disse:

    Cobra de Buichi Terasawa teve uma única edição em 1990 pela Cedibra.

    Curtir

  3. Marcus Vinicius disse:

    Vamos lá….
    Full Metal Panic! Sigma e Otomen não estão oficialmente cancelados.
    Seguem paralisados como alguns outros.

    Curtir

    • Kyon_45 disse:

      Utilizamos como fonte o blog Gyabbo. O link da notícia é este:

      http://www.genkidama.com.br/gyabbo/2013/10/28/full-metal-panic-sigma-otomen-oficialmente-cancelados-panini/ (Ele se encontra em nossas fontes).

      Um trecho da notícia do Gyabbo diz o seguinte:

      “Enviei, então, um e-mail para meu contato dentro da editora a fim de confirmar tal informação e hoje recebi a resposta. De fato ambos os títulos, um shounen e um shoujo, estão cancelados em razão de terem apresentado vendagens insuficientes para continuação (infelizmente não sabemos que número é esse, o mesmo contato reafirmou que a editora não revelará números de vendas).”

      O Gyabbo é um dos blogs mais profissionais do país. Logo nem cogito a ideia de que ele tenha mentido sobre isso… Portanto, para nós, infelizmente os dois mangás estão oficialmente cancelados, sim.

      Curtir

      • Quanto ao cancelamento de Full Metal Panic Sigma eu posso até estar dizen bobagens mas eu acredito que a Panini fez besteira. Eles pararam no edição 9 acredito que seria natural pelo fato de ter alcançado o mangá no apão na época em que lançaram, mas eles não acompanharam os lançamentos seguintes no japão. Desse jeito é óbvio que não vai ter uma boa vendagem. Pra piorar a notícia que eu encontrei confirmando o cancelamento do mangá foi públicada menos de 1 semana depois que foi lançada a última edição no Japão.

        Curtir

  4. Mark Almeida disse:

    o selo Astral Comics da Alto Astral publicou um título da GEN: ANORMAL, o representante da GEN no país é a ANGELOTTI, não deu pra postar links, dá pra encontrar a informação no Google.

    Curtido por 1 pessoa

  5. Mark Almeida disse:

    A Lenda de Kamui (1993), ao que parece, a Abril publicou apenas o primeiro arco de Ninpū Kamui Gaiden

    Curtido por 1 pessoa

    • Kyon_45 disse:

      Nós optamos por não incluir na lista nem A Lenda de Kamui (editora Abril) nem Crying Freeman (Nova Sampa) porque eles foram lançados como minisséries (3 e 4 volumes respectivamente) e concluídas.

      Infelizmente não temos no Brasil todos os volumes originais da Lenda de Kamui, mas não podemos dizer que o título foi cancelado porque a Abril só se propôs a publicar 3 exemplares…

      Vou adicionar uma nota na postagem.

      Curtir

    • Gustavo disse:

      Em todos os cantos eu o encontro, meu amigo! rs

      Curtir

  6. Tem também praticamente todos os títulos da Online Editora. Que teve o contrato cancelado com a Tokyopop americana ou algo parecido

    Curtir

  7. Letícia disse:

    só faltou MPD Phycho na lista… cancelaram faltando um volume, igual guin saga 😦

    Curtir

  8. Podia ter falado sobre Ragnarok e Chonchu, que são casos bizarros de cancelamento porque no primeiro o autor ficou rico com o jogo e não quis mais saber do mangá, e no segundo a Conrad também teve que cancelar porque os autores decidiram que precisavam de um tempo… que nunca passou.

    Curtir

  9. Mark Almeida disse:

    O manha do Tigre e o Dragão saiu completo?

    Curtir

    • vashrodox disse:

      Sim esse manhua saiu completo, originalmente sairam 12 volumes, aqui foi publicado em 11, pois enfiaram dois volumes nesse último Pra evitar o cancelamento já que não estava vendendo bem.

      Curtir

  10. vashrodox disse:

    Não acrescentaram Dark Angel Da mythos na lista, faltou tbm Jornada ao Oeste da conrad, e quanto a Chonchu e Ragnarok citados pela Tayná, não foi um cancelamento, não aqui, pois foi cancelado no país de origem, o que havia da obra foi publicado aqui na íntegra, então não havia o que a conrad pudesse fazer, mesmo caso inclusive de priest da Lumus.

    Curtir

  11. Mark Almeida disse:

    aquele Astroboy que a Panini lançou é outro que não sei se terminou

    Curtir

  12. Adriana disse:

    Acho que a Panini também cancelou os títulos Kekkaishi, O Mito de Arata e Black Lagoon.

    Curtir

  13. Mateus disse:

    E o que se sucedeu de MPD Psycho?

    Curtir

  14. Mark Almeida disse:

    os títulos publicados pela Savana foram completados?

    Curtir

  15. Mark Almeida disse:

    o selo Disney Mangá começou na OnLine, agora estão na Abril Jovem, que republicou O Estranho Mundo de Jack, que havia sido publicado pela Panini

    Curtir

  16. makoto disse:

    Possibilidade de voltar ao Brasil? Dificilmente alguma editora o relançará, entre outros motivos por ser um mangá muito longo.

    JBC já disse que relançará sob o selo Ink-Comics em tanko ao mesmo tempo que voltará de onde parou em tanko também agora que o Del Greco voltou.

    Curtir

    • Luana Ferreira disse:

      Hahahahahahahahhahahah. É cada mentira que o povo inventa….

      Carinha, se foi você que inventou essa mentira sugiro virar redator de televisão, você tem futuro.

      Se você viu isso em algum lugar, foi mentira. A JBC disse dias atrás no facebook que não pretendia relançar Futari H.

      Curtir

  17. makoto disse:

    E puta que pariu hoje em dia qualquer mangá sai no Brasil, não tem nenhum pouco provável ou impossível aí.

    Curtir

  18. SIRIUS BLACK disse:

    W.I.T.C.H, que foi lançado pela editora On Line e foi cancelado após 2 volumes.

    Curtir

  19. Pingback: O grande guia dos mangás paralisados, em hiato e etc | Biblioteca brasileira de mangas

  20. Pingback: Leituras | 無人駅

  21. Alguém sabe onde posso encontrar o mangá Combat pra baixar? Eu li quando criança e achei maravilhoso, mas nunca mais achei em lugar nenhum.

    Curtir

  22. Pingback: Promessas não cumpridas – parte 1 | Biblioteca Brasileira de Mangás

  23. Samara Barreira disse:

    Kyon, faltou na sua lista Dengeki Pikachu, mais conhecido aqui como As Aventuras Elétricas de Pikachu, da Conrad.

    Curtido por 1 pessoa

  24. Pingback: Databooks já lançados no Brasil | Biblioteca Brasileira de Mangás

  25. Alexandre disse:

    Adoro Sanctuary! Um dos melhores mangás que já li! Pena que foi cancelado. Falta de respeito com quem seguia a série.

    Curtir

  26. The Fool disse:

    Nossa, o Quiof postou aqui! xD
    Atualiza a lista colocando o ” Kondon Safadinhas” e o “Toshiki Sensual Girls”, eram dois hentais que foram lançados em bancas em formatinho.
    http://www.guiadosquadrinhos.com/edicao/colecao-opera-hentai-n-1/co012108/80133

    Curtir

    • Kyon_45 disse:

      Olá.
      Agradecemos pela dica^^.

      Fizemos uma matéria sobre a editora Opera Gráphica (que lançou esses mangás) e temos conhecimento que esses títulos não foram publicados na íntegra, mas como não compramos esses títulos nós não temos como saber se as histórias publicadas em cada volumes estão completas ou não.

      Caso estejam completas, não vemos motivo para colocar aqui, pois a editora publicou os dois como uma coleção, Toshiki como o volume 1, e kondons como o volume 2 e nesse caso não configura cancelamento. Por via das dúvidas preferimos não colocar.

      https://bibliotecabrasileirademangas.wordpress.com/2015/12/20/a-editora-opera-graphica/

      Curtir

      • The Fool disse:

        Então, eu tive as duas edições. Se me lembro bem, a do Toshiki a última história não era fechada, tinha continuação, que nunca aconteceu.
        Já a Bondage Faeries teve 3 histórias sequenciais, terminando tudo numa edição só. Mas o mangá mesmo, durou não sei quantas edições no Japão / EUA, quer dizer, foi cancelado também.
        Se eu conseguir scan dessas edições, eu mando pra vcs verem.
        Até mais!

        Curtir

        • Kyon_45 disse:

          Sobre Kondons se ela teve história concluída, mesmo que não tenha lançado todos os volumes japoneses não podemos considerar cancelado. Pois poderia ser o mesmo caso de A lenda de Kamui, pela Abril, e Golgo 13 pela JBC. Não lançaram tudo e nem tinham a intenção de lançar.

          Agora se o Toshiki não teve uma história fechada, então realmente devemos considerá-lo como cancelado, pois a historinha deveria ser concluída. Só é estranho essa editora ter feito a coleção Hentai e colocar Toshiki como volume 1 e Kondons como volume 2…

          Curtir

          • The Fool disse:

            Mas então, daí fica complicado saber qual era a intenção dos editores.
            A menos que vocês falassem com alguém daquela época e vissem isso, se a intenção era lançar edições sucessivas, sempre trocando os títulos ou outra coisa.
            Teve uns comentários de bastidores que os caras tavam fazendo era pirataria na cara dura, pode ser, por isso o fim abrupto dos títulos.
            Eu vou ver se acho alguma edição das duas, tiro foto e manda pra vcs pelo e-mail. Eras que eu não mexo em Sebos, meu Deus… @__@

            Curtir

  27. Elielto Rocha disse:

    Olá, Vagabond deve ser atualizado. Agradeço.

    Curtir

  28. Fabio Rattis disse:

    a Conrad só dava raiva para seus leitores kkkk todas as series “GRANDES” foram canceladas. pelo amor, os colecionadores piram com ela kkkkk

    Curtir

  29. Thiago Rocha disse:

    alguem poderia me dizer se The Legend of Maian foi cancelado ou nao?

    Curtir

  30. Ler essa matéria foi reviver minha história como leitor de mangás. Comprei, li ou vi a maioria dos mangás dessa lista. Tive muita raiva com a Conrad e tenho várias dessas edições de luxo descontinuadas nas estantes em casa. A Panini também começou mal, eu era fã de Eden, mas depois se orientou. Acho que boa parte de sua popularidade vem de retomar obras canceladas pela Conrad. O pior é que na época desses lançamentos você não tinha informações sobre o que tava acontecendo e ficava perdido. Fiquei até com receio de comprar uma nova série de mangá e depois ela sumir. Lembro que adorava a JBC, porque era a única em que podia confiar Huahauhauh Em relação à Futari H acredito que foi o traço que não agradou, mas garotas eram cabeçudas e tinham os olhos muito separados – ao menos pra mim. O melhor é que Vagabond e Blade acabaram de ser relançados.

    Curtir

  31. victorhugobrazil disse:

    De Full Metal Panic eu comprei tudo o que saiu, eu amei essa série 🙂

    Curtir

  32. Pingback: BBM Responde: Como descobrir se o mangá foi lançado no Brasil? | Biblioteca Brasileira de Mangás

  33. Fani disse:

    Alguém sabe a história do hentai no brasil e poderia me passar?

    Curtir

  34. Pingback: Editora Alto Astral oferece serviço inédito de curadoria para capítulos de mangás | Mais de Oito Mil

  35. Harle disse:

    Que lista monstruosa…

    Curtir

  36. Bruno disse:

    Muita coisa mudou desde a publicação deste post.
    Muitos mangás aqui relacionados voltaram para o mercado, como o exemplo de Vagabond, Lobo Solitário, Blade, Pokemon Yellow também retornará após o fim da serie RGB, Dr. Slump foi anunciado, dentre outros.
    Infelizmente um mangá que gosto muito e que consta nessa lista, e até agora nenhum sinal quanto seu relançamento é SANCTUARY, uma pena.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s