Guias

“Vira-casacas”: Mangás publicados por mais de uma editora [Atualizado]

Olá, navegantes.

63117Como todos devem saber, no último dia 21 ocorreu o evento Henshin +, da Editora JBC, no qual foram anunciados, entre outras coisas, quatro novos títulos para 2015. Um dos títulos anunciados foi o relançamento de Éden, um mundo infinito, um mangá que havia sido publicado pela Panini, no passado.

O retorno de Éden por outra editora levantou uma questão: muitos mangás mudaram de editora ou Éden é um caso isolado? Todo mundo lembra de Cavaleiros do Zodíaco e Dragon Ball que eram da Conrad e foram relançados pela JBC e Panini respectivamente. Mas esses são apenas os mais fáceis de lembrar. Há alguns mangás que foram lançados por uma editora e posteriormente lançados por outra e as pessoas não se lembram ou não sabem.

Nesta postagem, vamos falar dos mangás que foram publicados por uma editora e posteriormente foram para a outra.

***

1. LOBO SOLITÁRIO e CRYING FREEMAN

Nº 1 pela Editora Cedibra
Nº 1 pela Editora Cedibra
Lobo solitário 01 panini

Lobo solitário foi lançado pela primeira vez no Brasil em 1988, pela Editora Cedibra. Em papel de boa qualidade, o mangá era baseado na versão americana publicada pela First, onde ele foi dividido em 49 volumes. A obra não chegou a ser concluída por aqui, sendo cancelado após sua nona edição. No início da década de 1990, a Nova Sampa relançou a obra, mas também não conseguiu publicar o mangá até o fim. Somente em 2004 a obra começaria a ser publicada em seu formato original pela editora Panini. Dessa vez, finalmente Lobo solitário foi concluído no Brasil.

Crying Freeman, do mesmo autor de Lobo solitário, embora com mais sorte, teve uma vida parecida. a Nova Sampa o publicou no início da década de noventa, mas apenas uma edição muito resumida em quatro pequenas edições. Somente em 2006, novamente pela editora Panini, a obra pode ser lançada aqui e concluída até o fim.

***

2. GUNNM e RANMA 1/2

ranma animanga Gunnm-Editora-Opera-GraphicaGunnm foi lançado no Brasil pela primeira vez em 2002 pela editora Opera Gráphica, sob o título de Alita Battle Angel Gunm. Todavia, apenas uma edição foi lançada. Hoje sabe-se que a edição desse mangá pela Opera Gráfica não tinha um licenciador oficial, ou seja, era uma obra pirata. Mas quem gostou da história pôde acompanhar ela inteira, na íntegra a partir de 2003, quando a Editora JBC começou a lançar o mangá e o publicando por inteiro. Segundo Marcelo Del Greco, em entrevista para o site Jbox, o lançamento oficial de Gunnm foi um pedido da própria Shueisha (editora japonesa) devido ao lançamento pirata feito pela Opera Gráphica.

Por sua vez, Ranma 1/2 começou a ser lançado no final da década de 1990 pela extinta editora Animangá. A edição tinha em média apenas dois capítulos por edição e leitura ocidental. Após alguns anos de publicação irregular e sofrendo com a concorrência, Ranma acabou cancelado. Anos depois, o mangá retornaria pelas mãos da editora JBC em tanko e com leitura oriental, sendo concluído em 38 volumes.

***

3. NEON GENESIS EVANGELION e CAVALEIROS DO ZODÍACO

Evangelion 01Cavaleiros do zodiaco 1Evangelion e Cavaleiros do zodíaco foram lançados pela Conrad, no começo dos anos 2000. Cavaleiros do zodíaco foi tamanho sucesso que teve duas publicações oficiais. Evangelion, ao contrário, teve uma vida conturbada. A série foi lançada em meio-tanko, mas após alguns anos acabou cancelada. Contudo, a editora gostava muito do título e também o lançou em tanko, durou apenas uma edição e também não foi para frente.

Com os problemas financeiros e consequente fim da Conrad, as licenças de ambos os mangás ficaram livres, foram adquiridos pela editora JBC e ela os relançou em tanko. Com relação a Evangelion, além do relançamento, a editora deu continuidade ao lançamento da Conrad em meio-tanko para que quem tivesse as edições lançadas não precisasse comprar novamente.

***

4. MONSTER, ONE PIECE e DRAGON BALL

monster 01One piece 01Monster, One Piece e Dragon Ball foram publicados também pela Conrad. One Piece foi publicado em meio-tanko desde 2002 e acabou cancelado no volume 70. Monster também não teve vida fácil e assim como One Piece acabou cancelado. Já Dragon Ball foi um dos primeiros mangás da editora. Lançado em periodicidade quinzenal foi um tremendo sucesso. Porém, sua republicação, uma edição definitiva, acabou cancelada também.

Dragon-BALL-34-Editora-Panini-699x1024dragon ball 17A crise da Conrad foi de novo o fator preciso para que esses títulos mudassem de editora. Os três foram adquiridos pela Panini e ainda estão em publicação. Com One Piece, a editora fez algo parecido com o que a JBC fez com Evangelion, mas ao invés de publicar One Piece em meio-tanko, ela publicou em tanko a partir do número em que a Conrad havia parado. Ao mesmo tempo, publicou a partir do volume 01 para que novos leitores pudesses conhecer a obra.

***

5. VAGABOND e SLAM DUNK

Vagabond 01slam dunkNovamente a Conrad é protagonista. Vagabond foi lançado pela Conrad duas vezes e as duas vezes foi cancelado. A primeira edição em meio-tanko e a segunda em tanko, mas em edição especial de luxo. Anos depois do cancelamento, Vagabond foi adquirido pela Nova Sampa e a edição de luxo foi continuada. Atualmente o mangá encontra-se paralisado.

Slam Dunk, por seu turno, foi publicado e completado pela Conrad. Em 2014, a Nova Sampa anunciou que detém exclusividade sobre os mangás do Inoue e falou que SlamDunk pode ser republicado caso Vagabond venda bem… E sabe-se que Vagabond não tem vendido muito… Em resumo, Slam Dunk pode ou não ser republicado por outra editora, mas resolvemos colocá-lo aqui já que existe esse contrato da Nova Sampa com o autor.

***

6. O ESTRANHO MUNDO DE JACK e O ROUBO DA COROA DAS FADAS

roubo da coroa das fadaso estranho mundo de jackOs menos conhecidos da lista também mudaram de editora. A adaptação de Jun Asuka de O estranho mundo de Jack foi publicado pela Panini em 2007. Em 2015, a obra retornou pelas mãos da editora Abril que vem lançando obras baseadas em filmes da Disney.

Quanto a O roubo da coroa das fadas foi publicado pela primeira vez em 2011 pela Online Editora, mas com o título de Vídia e o sumiço da coroa. A obra retornou em 2015 pelas mãos da editora Abril. Conta-se que Vídia fora oferecido para a Abril em 2011, mas a editora recusou na ocasião.

[Atualização]

7. AS JAPINHAS SAFADINHAS

angelLá no mundo antigo dos anos 1990, muitas séries japonesas “estranhas” vieram para o país, algumas sem licenciamento. Um deles é um mangá hentai Angel, de U-jin. A obra veio para o país de forma não-oficial pela editora Ninja. Poucas edições, de poucas páginas, foram lançadas.

A Nova Sampa, por seu turno, trouxe o mangá de forma oficial e alterou o seu nome para As Japinhas safadinhas e, ao todo, lançou 9 edições, também com pouquíssimas páginas. Posteriormente, a editora lançou um volume intitulado Japinha safadinha – as mil e uma noitadas, mas não sabemos se o exemplar tem relação com essa série.

***

E então, leitor, conhecia essas mudanças de editoras? Esquecemos algum título que você saiba que mudou de editora? Escreva nos comentários…

frase final

Anúncios

4 comentários em ““Vira-casacas”: Mangás publicados por mais de uma editora [Atualizado]”

Deixe sua opinião. Seu comentário é muito importante para nós^^.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s